Podcasts de história

Moeda de ouro de Nicéforo I

Moeda de ouro de Nicéforo I


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Botaneiatos de Nicéforo III

Botaneiatos de Nicéforo III, Latinizado como Nicephorus III Botaniates (Grego: Νικηφόρος Βοτανειάτης, 1002 - 1081), foi imperador bizantino de 7 de janeiro de 1078 a 1º de abril de 1081. Ele nasceu em 1002 e tornou-se general durante o reinado do imperador bizantino Constantino IX Monomachos, servindo na revolta pechenegenta de 1048 –1053. Suas ações ao guiar suas forças para longe dos pechenegues após a Batalha de Passo de Zygos, na qual sofreram onze dias de assédio antes de finalmente chegarem à cidade bizantina de Adrianópolis, atraiu a atenção de outros oficiais, e ele recebeu o título de magistros como uma recompensa. Nicéforo serviu na revolta de Isaac I Comneno contra o imperador bizantino Miguel VI Bringas, liderando as forças na batalha decisiva de Petroe. Sob o imperador Constantino X Doukas ele foi feito doux de Tessalônica, onde permaneceu até c. 1065, quando foi realocado como doux de Antioquia. Enquanto doux de Antioquia, ele repeliu inúmeras incursões do emirado de Aleppo. Quando Constantino X morreu em 1067, sua esposa, a imperatriz Eudokia Makrembolitissa, considerou tomar Nicéforo como marido e imperador, mas em vez disso escolheu Romano IV Diógenes. A necessidade de um sucessor imediato foi pressionada pelos constantes ataques seljúcidas à Anatólia bizantina e à Eudoquia, o Patriarca João VIII de Constantinopla, e o Senado Bizantino concordou que sua principal prioridade era a defesa do império e que precisavam de um imperador para liderar tropas para repelir os turcos. Nicéforo era o candidato favorito do Senado, mas estava no campo liderando tropas em Antioquia e ainda era casado. Romano, uma vez escolhido para ser imperador, exilou Nicéforo para suas propriedades no Tema Anatólico, onde permaneceu até ser retirado da aposentadoria pelo Imperador Miguel VII e feito coropalatos e governador do Tema Anatólico.

Nicéforo entrou em conflito com Miguel em 1078, quando ele implorou ao imperador que tratasse da situação cada vez pior na Anatólia bizantina, insultando Miguel com sua franqueza. Para se proteger, Nicéforo reuniu um exército de tropas nativas e mercenários turcos e se declarou imperador em 7 de janeiro de 1078. [1] Nicéforo reuniu uma forte base de apoio devido à sua perspicácia militar e renome familiar e foi coroado em Nicéia em 24 de março , [2] após o qual ele entrou em Constantinopla e assumiu o trono. Como imperador, Nicéforo enfrentou inúmeras revoltas, incluindo as de Nicéforo Briênio, Nicéforo Basilagos e Constantino Ducas, bem como uma tentativa de assassinato pela Guarda Varangiana. Nicéforo abraçou as armadilhas do imperador, realizando muitos atos para aumentar sua legitimidade e apoio, como gastar grandes quantias em doadores para o exército e seus apoiadores, perdoar todas as dívidas em atraso e instituir pequenas reformas legais. Diplomaticamente, Nicéforo garantiu a submissão de Teodoro Gabras e Filaretos Brachamios, governadores de Trebizonda e Antioquia, respectivamente, que se tornaram de fato independentes do Império Bizantino devido às constantes incursões dos seljúcidas na Anatólia bizantina.

Em 1081, o duque normando Robert Guiscard da Apúlia preparou-se para invadir o Império Bizantino sob o pretexto de defender a sucessão de Constantino Ducas, que havia sido noivo da filha de Roberto, Helena. Aleixo I Comneno foi encarregado de um exército e enviado para derrotar a ameaça normanda, mas em vez disso conspirou com seu parente João Ducas para tomar o trono. Aleixo levantou uma rebelião contra Nicéforo e foi capaz de cercar Constantinopla e sitiá-la rapidamente, devido à falta de um exército defensivo. Nicéforo não foi capaz de garantir o apoio dos turcos seljúcidas ou de Nicéforo Melisseno, seus rivais tradicionais e, portanto, foi forçado a se preparar para a abdicação. Nicéforo decidiu que sua única escolha era abdicar em favor de Melissenos, que estava perto de Damalis, na Anatólia, e enviou mensageiros para ele através do Bósforo. No entanto, esses mensageiros foram interceptados por George Palaiologos, um general de Aleixo, que os persuadiu a apoiar Alexios. Aleixo e suas forças romperam as muralhas de Constantinopla em 1º de abril de 1081 e saquearam a cidade. [3] Nicéforo fugiu e buscou refúgio dentro da Hagia Sophia. Nicéforo foi levado de lá para o Mosteiro de Peribleptus, onde abdicou e se tornou monge.


Militares Bizantinos

O poder bruto do dinheiro é subestimado na história. O dinheiro não compra apenas influência política, mas também o poder militar para se defender e impor sua vontade aos outros. As moedas de ouro romanas representaram esse poder por milhares de anos.

O dinheiro usado no Império Romano do Oriente após a queda do Ocidente consistia principalmente em dois tipos de moedas: o solidus de ouro e uma variedade de moedas de bronze de valor claro. No final do império, a moeda era emitida apenas em stavrata de prata e moedas menores de cobre, sem emissão de ouro.

O início do que é visto como moeda bizantina pela numismática começou com a reforma monetária de Anastácio em 498, que reformou o sistema de cunhagem do final do Império Romano, que consistia no ouro solidus e o bronze nummi .

A única moeda de prata emitida regularmente foi o hexagrama emitido pela primeira vez por Heráclio em 615, que durou até o final do século VII. Foi sucedido pelo primeiro cerimonial miliaresion estabelecido por Leão III, o Isauriano em ca. 720, que se tornou um problema padrão a partir de ca. 830 e até o final do século 11, quando foi descontinuado depois de ser severamente degradado.

O ouro solidus ou nomisma permaneceu um padrão de comércio internacional até o século 11 , quando começou a ser degradado sob sucessivos imperadores, começando na década de 1030 sob o imperador Romanos Argyros (1028 & # 82111034).

O solidus bizantino foi valorizado na Europa Ocidental, onde ficou conhecido como o bezant , uma corrupção de Bizâncio .

Aelia Eudoxia, esposa de Arcadius No .: 617 Miliarense Light, Constantinopla 400-404, AR 4,46 g. AEL EUDO & # 8211 XIA AVG Busto diademed e drapeado, usando brinco e colar coroado acima pela Mão de Deus. Rev. A Imperatriz sentada no trono de frente, vestindo diadema (?) E manto, coroada acima pela Mão de Deus nas laterais, duas cruzes.
.
. A prata mais rara do século V foi cunhada para as imperatrizes. Para Aelia Eudoxia , esposa de Arcadius (Imperador Bizantino 395-408), um ligeiro miliarense mostra o elaborado penteado em forma de capacete preferido pelas damas imperiais da época. No reverso, ela está sentada no trono, flanqueada por cruzes lisas, enquanto a & # 8220 mão de Deus & # 8221 se abaixa para coroá-la. Aelia Eudocia (os nomes semelhantes são uma fonte infinita de confusão), esposa de Teodósio II , aparece similarmente penteado em um raro siliqua de prata de Constantinopla, mas o reverso é simplesmente uma cruz em uma coroa de flores.

Medalhão de Ouro de Constantino I
Solidus múltiplo atingiu Sirmium em 324.
Mais de 10 anos após sua vitória sob o sinal da cruz, o
imperador é mostrado usando a coroa radiada, um reflexo de seu
devoção contínua ao Deus Sol, Apolo.

A economia do Império Romano do Oriente

O Império Romano efetivamente criou uma grande zona de livre comércio. Sob a proteção de uma central, mercadorias militares podiam ser produzidas e enviadas da África para os Bálcãs e da Mesopotâmia para a Itália. Uma moeda imperial universalmente aceita de moedas de ouro, prata e cobre ajudou a estimular o comércio.

Constantinopla era o principal centro de uma rede comercial que, em vários momentos, se estendeu por quase toda a Eurásia e o Norte da África. Alguns estudiosos argumentam que, até a chegada dos árabes no século 7, a O Império Romano do Oriente tinha a economia mais poderosa do mundo.

Follis de cobre do imperador
Anastastius I (491-518)

O estado exerceu controle formal sobre as taxas de juros e definiu os parâmetros para a atividade das guildas e corporações em Constantinopla, nas quais o estado tem um interesse especial (por exemplo, a venda de seda) ou cujos membros exerciam uma profissão importante para troca. O imperador e seus funcionários intervinham em tempos de crise para garantir o abastecimento da capital e manter baixo o preço dos cereais.

A seda era usada pelo estado tanto como meio de pagamento quanto como meio de diplomacia. A seda crua era comprada da China e transformada em finos brocados e tecidos de ouro que alcançavam altos preços em todo o mundo. Mais tarde, os bichos da seda foram contrabandeados para o império e o comércio da seda por terra tornou-se menos importante. Depois de Justiniano I, a fabricação e venda de seda se tornou um monopólio imperial, apenas processada em fábricas imperiais e vendida a compradores autorizados.

Outras mercadorias comercializadas, em Constantinopla e em outros lugares, eram numerosas: óleo, vinho, sal, peixe, carne, vegetais, outros produtos alimentares, madeira e cera. Cerâmica, linho e tecido também eram itens de comércio. Itens de luxo, como sedas, perfumes e especiarias também foram importantes.

O comércio de escravos é comprovado, tanto em nome do Estado, como, possivelmente, por particulares. O comércio internacional era praticado não apenas em Constantinopla, que foi até o final do século XII um importante centro do comércio de luxo oriental, mas também em outras cidades que funcionavam como centros de comércio inter-regional e internacional, como Salónica e Trebizonda.

Follis de um novo tipo, cunhado em grandes quantidades em comemoração às vitórias do imperador Teófilo contra os árabes em ca. 835 em. No anverso, ele é representado em traje triunfal, vestindo o toupha , e no reverso a tradicional aclamação "Teófilos Augusto , você conquista " .

Moeda Bizantina

A riqueza do imperador bizantino foi igualada apenas pelos reis da Pérsia sassânida e pelos califas de Bagdá.

Uma descrição vívida do senso de superioridade da corte bizantina em relação ao Ocidente "bárbaro" foi preservada por Liutprand de Cremona, o embaixador do imperador Otto II em Constantinopla em 950, que cita os comentários arrogantes de um oficial da alta corte:


Moeda com Cabeça de Alexandre

Moeda de prata de Alexandre, o Grande, cunhada em Lampsakos (Lapseki), Turquia
MINTED 305 & ndash281 AC

Há pouco mais de 2.000 anos, houve, na Europa e na Ásia, grandes impérios cujos legados ainda são fortemente sentidos no mundo de hoje - o Império Romano no Ocidente, o império de Ashoka na Índia e a Dinastia Han na China. Quero examinar como o poder em tais impérios é construído e projetado. O poder militar é apenas o começo e a parte mais fácil. Como um governante imprime sua autoridade na própria mente de seus súditos? Nesta área, as imagens são geralmente mais eficazes do que as palavras, e as mais eficazes de todas as imagens são aquelas que vemos com tanta frequência que mal as notamos: moedas. Assim, o governante ambicioso molda a moeda: a mensagem está no dinheiro, e essa mensagem pode durar muito depois da morte do governante. Embora esta moeda de prata mostre a imagem de Alexandre, o Grande, foi cunhada pelo menos quarenta anos após sua morte, por ordem de um de seus sucessores, Lisímaco.

A moeda tem cerca de 3 centímetros (pouco mais de uma polegada) de diâmetro, um pouco maior do que uma peça de 2p. Tem o perfil de um jovem, com nariz reto e mandíbula forte, mostrando boa aparência e força clássicas. He & rsquos olhando intensamente para a distância a inclinação da cabeça é dominante, sugerindo um movimento vigoroso para a frente. É a imagem de um líder morto, mas claramente com a intenção de transmitir uma mensagem política de poder e autoridade agora.

Você encontra exatamente o mesmo fenômeno na China moderna, onde as notas vermelhas trazem o retrato do presidente Mao. Pode parecer estranho que a própria força vital do que agora é uma economia capitalista espetacularmente bem-sucedida, seu dinheiro, carregue consigo o retrato de um revolucionário comunista morto. No entanto, a razão é clara. Mao lembra ao povo chinês as conquistas heróicas do Partido Comunista, que ainda está no poder. Ele defende a recuperação da unidade chinesa em casa e do prestígio no exterior, e todos os governos chineses querem ser vistos como herdeiros de sua autoridade. Essa apropriação do passado, esse tipo de exploração da imagem de um líder morto, não é nada novo. Ela existe há milhares de anos, e o que está acontecendo hoje com Mao na moeda chinesa estava acontecendo há mais de 2.000 anos com Alexandre.

Cunhada por volta de 300 aC, esta é uma das primeiras moedas a ostentar a imagem de um líder. Alexandre, o Grande, cuja cabeça está representada na moeda, foi o governante militar mais glamorizado de sua época - possivelmente de todos os tempos. Não temos como saber se essa é uma semelhança precisa de Alexandre, mas deve ser ele, porque além de cabelo humano, esse homem tem chifres de carneiro. É o símbolo do chifre, bem conhecido no mundo antigo, que não deixa ao espectador a dúvida de que estamos diante de uma imagem de Alexandre. Os chifres estão associados ao deus Zeus-Ammon & ndash, um híbrido dos dois principais deuses gregos e egípcios, Zeus e Ammon. Portanto, esta pequena moeda está fazendo duas grandes declarações & ndash afirma o domínio de Alexandre e rsquos sobre os gregos e os egípcios, e sugere que, em certo sentido, ele é homem e deus.

O reverso da moeda mostra Atenas Nicéforo, e as letras gregas soletram & lsquoof Rei Lysimachus & rsquo

Alexandre, o homem, era filho de Filipe II da Macedônia, um pequeno reino algumas centenas de quilômetros ao norte de Atenas. Filipe esperava grandes coisas do filho e empregou o grande filósofo Aristóteles como tutor. Alexandre subiu ao trono em 336 aC com a idade de 20 anos, com um senso quase ilimitado de autoconfiança. Seu objetivo declarado era alcançar os & lsquoends do mundo e o Grande Mar Exterior & rsquo, e para isso ele embarcou em uma série de guerras, primeiro esmagando rebeliões de Atenas e outras cidades gregas, depois se voltando para o leste para enfrentar o inimigo de longa data dos gregos e da Pérsia. A Pérsia controlava naquele ponto o maior império da terra, estendendo-se do Egito, passando pelo Oriente Médio e Ásia central até a Índia e quase até a China. O jovem Alexandre fez uma campanha brilhante por um total de dez anos, até derrotar todo o Império Persa. Ele era claramente um homem motivado. O que o impulsionou? Perguntamos ao principal especialista em Alexander, Robin Lane Fox:

Alexandre foi impulsionado pelos ideais heróicos que convinham a um rei macedônio, governando sobre macedônios, os ideais de glória pessoal, destreza ele foi impulsionado por um desejo de chegar ao fim do mundo, ele foi impulsionado pelo desejo de se destacar para sempre seu pai , Philip, que era um homem significativo, mas que empalidece quase que uma sombra ao lado da reputação global de Alexander & rsquos.

As vitórias de Alexandre não dependiam apenas de seus exércitos. Eles exigiam dinheiro & ndash e muito. Felizmente, Filipe conquistou as ricas minas de ouro e prata da Trácia, a área que se estende pelas fronteiras modernas da Grécia, Bulgária e Turquia. Esse metal precioso financiou as primeiras campanhas, mas essa herança foi posteriormente aumentada pela colossal riqueza que Alexandre capturou na Pérsia. Suas conquistas imperiais foram financiadas por quase cinco milhões de quilos de ouro persa.

Com força irresistível, enorme riqueza e enorme carisma, não é de admirar que Alexandre se tornou uma lenda, parecendo ser mais do que mortal, literalmente sobre-humano. Em uma de suas primeiras campanhas no Egito, ele visitou o oráculo do deus Amon, que o nomeou não apenas o faraó legítimo, mas um deus. Ele deixou o oráculo com o título & lsquoson de Zeus-Ammon & rsquo, o que explica os chifres de carneiro característicos em imagens dele como a de nossa moeda. Ele foi recebido por muitos dos povos conquistados como se fosse um deus vivo, mas não é totalmente claro se ele realmente acreditava ser um. Robin Lane Fox sugere que ele se via mais como o filho de Deus:

Ele certamente acreditava que era filho de Zeus, [que] em certo sentido, Zeus havia entrado em sua geração, uma história possivelmente contada a ele pela própria mãe, Olímpia, embora ele seja, em termos terrestres, o filho do grande rei Philip. Ele é homenageado como um deus, espontaneamente, por algumas das cidades de seu império, e ele não se desagrada de receber honras iguais às dos deuses. Mas ele sabe que é mortal.

Alexandre conquistou um império de mais de dois milhões de quilômetros quadrados e fundou muitas cidades em seu nome, sendo a mais famosa Alexandria, no Egito. Embora quase todos os grandes museus da Europa tenham uma imagem de Alexandre em sua coleção, elas não são consistentes e não há como saber se ele se parecia com algum deles. Foi somente após a morte de Alexandre em 323 aC que uma imagem combinada e idealizada, construída para consumo público, passou a existir & ndash e que & rsquos a imagem encontrada em nossa moeda. O reverso da moeda revela que esta não é a moeda de Alexander de forma alguma - ele está fazendo uma aparição póstuma como convidado no drama político de outra pessoa.

O outro lado da moeda mostra a deusa Atena Nicéforo, portadora da vitória, carregando sua lança e escudo. Ela é a divina padroeira dos gregos e uma deusa da guerra. Mas não é Alexandre que ela está favorecendo, porque as letras gregas ao lado dela nos dizem que esta é a moeda do rei Lisímaco. Lisímaco fora um dos generais e companheiros de Alexandre & rsquos. Ele governou a Trácia desde a morte de Alexandre e rsquos até sua própria morte em 281 aC. Lisímaco não cunhou uma moeda que apareceu. Em vez disso, decidiu se apropriar da glória e autoridade de seu predecessor. Isso é manipulação de imagem & ndash quase roubo de identidade & ndash em escala heróica.

Alexandre morreu com trinta e poucos anos, e seu império rapidamente se desintegrou em uma confusão de territórios mutantes sob os senhores da guerra rivais. Lisímaco era apenas um deles. Todos os senhores da guerra afirmavam ser os verdadeiros herdeiros de Alexandre, e muitos deles cunharam moedas com sua imagem para provar isso. Esta foi uma luta travada não apenas no campo de batalha, mas também na moeda. É um exemplo clássico de uma manobra política atemporal: aproveitar a autoridade e o glamour de um grande líder do passado para impulsionar-se no presente.

Reputações mortas são geralmente mais estáveis ​​e administráveis ​​do que as vivas. Desde a Segunda Guerra Mundial, por exemplo, Churchill e de Gaulle foram reivindicados por líderes políticos britânicos e franceses de todos os matizes, quando isso se adequava à agenda do dia-a-dia. Mas em sociedades democráticas, esta é uma estratégia de alto risco, como aponta o comentarista político e locutor Andrew Marr:

Quanto mais democrática é uma cultura, mais difícil é se apropriar de um líder anterior. É muito interessante no momento ver o renascimento de Stalin como uma figura admirada em Putin e na Rússia, tendo sido derrubado como um tirano sanguinário antes. Portanto, a possibilidade de tirar uma figura do passado está sempre aberta, mas quanto mais coloquial, mais conflituosa, mais democrática, mais argumentativa é a cultura política, mais difícil ela é. Você pode ver isso no caso de Churchill, porque ainda há muitas e muitas pessoas que sabem muito sobre o que Churchill pensou e disse. Qualquer partido dominante que tentasse dizer & lsquowe é o partido de Churchill & rsquo teria problemas porque Churchill mudou tanto de ideia que pode ser citado contra você com a mesma frequência que pode ser citado a seu favor.

Os governantes mortos ainda estão muito presentes e eles ainda persistem sobre a moeda. Um estrangeiro atencioso que lida com as notas bancárias da China e dos Estados Unidos hoje pode muito bem presumir que uma era governada por Mao e a outra por George Washington. E, em certo sentido, é exatamente isso que os líderes chineses e americanos querem que todos pensemos. Gigantes políticos como esses emprestam uma aura de estabilidade, legitimidade e, acima de tudo, autoridade inquestionável aos regimes modernos que lutam com enormes problemas. Lysimachus & rsquos gambit ainda define o ritmo para as superpotências mundiais e rsquos.

E funcionou para o próprio Lysimachus & ndash até certo ponto. Ele é uma mera nota de rodapé histórica em comparação com Alexandre: ele não obteve um império, mas obteve um reino e se agarrou a ele. Vinte anos após a morte de Alexandre, estava claro que seu império nunca seria reconstituído e, pelos próximos 300 anos, o Oriente Médio seria governado por muitos reis e dinastias de língua grega cultos, mas competitivos. O monumento mais famoso de qualquer um desses estados de língua grega, a Pedra de Roseta, está presente em Capítulo 33. Mas meu próximo objetivo vem da Índia, onde o grande imperador Ashoka se vinculou a um tipo diferente de autoridade para fortalecer sua posição política & ndash não a autoridade de um grande guerreiro, mas um dos maiores de todos os professores religiosos & ndash o Buda.


Moeda com cabeça de Alexandre

  1. Clique na imagem para ampliar. Copyright Trustees of British Museum
  2. O reverso da moeda. Clique na imagem para ampliar. Copyright Trustees of British Museum
  3. Cabeça de retrato de mármore de Alexandre, o Grande. Curadores de direitos autorais do Museu Britânico
  4. Mapa mostrando onde este objeto foi feito. Curadores de direitos autorais do Museu Britânico

Esta moeda foi emitida por Lisímaco, o ex-general de Alexandre, o Grande. Após a morte de Alexandre, Lisímaco governou parte do império de Alexandre na Bulgária, norte da Grécia e Turquia, conhecido como 'Trácia'. Lisímaco usou o retrato de Alexandre em suas moedas para enfatizar sua posição como sucessor de Alexandre. Alexandre foi adorado como um deus após sua morte. Aqui ele ostenta os chifres de carneiro do deus Zeus Ammon, que os sacerdotes egípcios afirmavam ser o pai de Alexandre. No verso da moeda está a deusa Atena.

Quem foi Alexandre, o Grande?

Alexandre nasceu no reino da Macedônia em 356 aC. Com a idade de 25 anos, ele conquistou a Grécia, o Egito e a Pérsia, criando um império que mede 2 milhões de milhas quadradas. Após sua morte em 323 aC, os generais de Alexandre começaram a disputar seu legado. Como não podiam reivindicar um laço de sangue, esses generais tentaram legitimar seu governo por meio de outras conexões com Alexandre. Por fim, eles dividiram o império em três reinos principais na Macedônia, Egito e Pérsia e formaram dinastias poderosas.

Lisímaco era um grande caçador e dizia-se que Alexandre o trancou em uma gaiola com um leão para testar sua destreza

Cara ou Corôa?

Com esta imagem surpreendente de Alexandre, o Grande, estamos no início de uma tradição de retratos em moedas que se estende até os dias modernos. Mas por que esses retratos começaram apenas por volta de 300 aC, três séculos após a invenção da moeda, e por que com Alexandre, o Grande?

As pistas estão no próprio retrato. Alexandre não é retratado como um homem, mas como um deus. Ele carrega o atributo de Zeus Amon, uma alusão à afirmação de que ele era o filho desse deus. Como tal, o 'retrato', de fato, se encaixa em uma tradição que existia desde o nascimento da moeda.
A cabeça de uma divindade era um tema inteiramente apropriado para ser representado em uma moeda, e existem milhares de exemplos no corpus de moedas gregas. Assim, Alexandre, o "deus", e não Alexandre, o "homem", é o desenho da moeda de Lisímaco. E esse fato também explica por que só agora a cabeça de alguém que consideraríamos um homem poderia aparecer em uma moeda. Pois é com Alexandre, o Grande, que o processo grego de divinizar os homens mortais começa a sério. No caso de Alexandre, esse retrato começou apenas após sua morte, mas dentro de uma geração desses reis vivos seriam retratados em moedas, embora inicialmente com atributos que sugeriam sua deificação.

Por um lado, parece estranho aos olhos modernos que os gregos relutassem tanto em retratar um homem em suas moedas. Estamos acostumados hoje, especialmente aqueles de nós que vivem em monarquias, a ver o atual chefe de estado retratado em nossas moedas.

No entanto, o impacto de tais imagens, embora talvez atenuado para aqueles que vêem esses retratos diariamente, ainda é poderoso em algumas culturas. Basta pensar na moeda de uma das maiores democracias do mundo para ver o tabu em ação no mundo moderno. Nenhum indivíduo vivo ainda é retratado nas moedas em circulação dos Estados Unidos, que usam, em vez disso, uma galeria de presidentes mortos onde outras nações reconhecem os vivos.

Com esta imagem surpreendente de Alexandre, o Grande, estamos no início de uma tradição de retratos em moedas que se estende até os dias modernos. Mas por que esses retratos começaram apenas por volta de 300 aC, três séculos após a invenção da moeda, e por que com Alexandre, o Grande?

As pistas estão no próprio retrato. Alexandre não é retratado como um homem, mas como um deus. Ele carrega o atributo de Zeus Amon, uma alusão à afirmação de que ele era o filho desse deus. Como tal, o 'retrato', de fato, se encaixa em uma tradição que existia desde o nascimento da moeda.
A cabeça de uma divindade era um tema inteiramente apropriado para ser representado em uma moeda, e existem milhares de exemplos no corpus de moedas gregas. Assim, Alexandre, o "deus", e não Alexandre, o "homem", é o desenho da moeda de Lisímaco. E esse fato explica também por que só agora a cabeça de alguém que consideraríamos um homem poderia aparecer em uma moeda. Pois é com Alexandre, o Grande, que o processo grego de divinizar os homens mortais começa a sério. No caso de Alexandre, esse retrato começou apenas após sua morte, mas dentro de uma geração desses reis vivos seriam retratados em moedas, embora inicialmente com atributos que sugeriam sua deificação.

Em certo nível, parece estranho aos olhos modernos que os gregos relutassem tanto em retratar um homem em suas moedas. Estamos acostumados hoje, especialmente aqueles de nós que vivem em monarquias, a ver o atual chefe de estado retratado em nossas moedas.

No entanto, o impacto de tais imagens, embora talvez atenuado para aqueles que vêem esses retratos diariamente, ainda é poderoso em algumas culturas. Basta pensar na moeda de uma das maiores democracias do mundo para ver o tabu em ação no mundo moderno. Nenhum indivíduo vivo ainda é retratado nas moedas em circulação dos Estados Unidos, que usam, em vez disso, uma galeria de presidentes mortos onde outras nações reconhecem os vivos.

Andrew Meadows, Diretor Adjunto, American Numismatic Society

Os comentários estão fechados para este objeto

Comentários

Obrigado, Neil McG, pelos primeiros 30 objetos. seu entusiasmo silencioso pelos assuntos é inspirador e sua explicação e ilustração da (pré) história e significado dos objetos é bastante notável e nos deu uma grande quantidade de compreensão do caminho evolutivo da humanidade e da sociedade. Minha esposa, minha enteada e eu visitamos o BM alguns fins de semana atrás e nossa caça ao tesouro pelos primeiros 30 objetos nos deu uma grande e nova perspectiva das coleções BM que não tínhamos apreciado em visitas anteriores e a caça culminou com a peça mais impressionante da arte que eu já vi, a rena nadadora. Aos 14.000 anos, até a Mona Lisa foi usurpada! Estou ansioso para a próxima parcela e N McG deve ser indicado para o título de cavaleiro ou pelo menos uma das mais altas honras por servir a nossa herança. Obrigado BBC R4 e BM, Keith Arbuthnot

apenas gostaria de dizer que série divertida e informativa tem sido até agora. Muito bem pesquisado e entregue. Um projeto muito inovador para 2010. Aguarde até a próxima edição. Obrigado.

Não até 17 de maio? Recentemente, examinei os primeiros 30 e achei todos fascinantes. Eu sei que a espera valerá a pena.

Impressionante, como os designers de moedas britânicos seguiram de perto a figura de Atena Nicéforo (17 de maio) na moeda velha e na última peça de 50p, mostrando a Britânia governando as ondas! A moeda a mostrava com o braço esquerdo apoiado no escudo (agora com a bandeira da União) e o direito inclinando o tridente para frente a peça 50p revertida para uma forma mais antiga desta, na qual o tridente descansava contra seu ombro esquerdo, deixando-a direita mão livre para estender o ramo de oliveira da paz. É uma pena que este projeto antigo esteja agora (eu acredito) sendo descontinuado em nossa moeda, que está se tornando tão barata em conceito quanto em valor!

Concordo que é lamentável que estejamos interrompendo o uso de Britannia / Athena. Mas então estamos perdendo toda a nossa herança lentamente, ou melhor, doando-a ou negando-a.

Ao contrário da declaração de Meadows, a Índia é a maior democracia do mundo, não os Estados Unidos.

Informativo. deve fazer um apelo por uma gramática mais cuidadosa, no entanto: por exemplo: "a quem os sacerdotes egípcios afirmavam ser o pai de Alexandre." Deve ser "quem" sujeito de "reivindicado"

Tenho uma qualificação profissional em belas-artes e estou realmente interessado no conteúdo básico desta série de programas. Apesar disso, acho excruciante ouvir. É a maneira banal e superficial com que a música incidental é usada que torna é (mais uma vez) inaudível para mim. É como se V.Ashkenazy nunca tivesse feito sua excelente palestra sobre Reith.
Eu me pergunto se os programas de rádio agora são frequentemente feitos como 'argumentos de venda' para as possibilidades da TV, com o resultado de que os produtores não estão comprometidos nem hábeis no rádio sonoro como um meio.
Quase nunca fui movido o suficiente por uma insatisfação para reclamar assim, mas considero o uso repetitivo, previsível e arbitrário da música nesta série uma falha grave para qualquer pessoa com sensibilidade musical.
Gostaria de saber se mais alguém acha que o uso de música no AHOW (estou me lembrando de ouvir com a mãe agora!) Prejudica seriamente o conteúdo interessante.

PS, desculpe, deveria ter sido Daniel Barenboim (reith 2006), não V.ashkenazy.


Desculpe, mas tenho que discordar do Trev (comentário 7). O assunto de "reivindicado" é "sacerdotes egípcios", então "quem" está correto.

Compartilhe este link:

A maior parte do conteúdo de A History of the World é criada pelos colaboradores, que são os museus e membros do público. As opiniões expressas são deles e, a menos que especificamente declarado, não são da BBC ou do Museu Britânico. A BBC não é responsável pelo conteúdo de quaisquer sites externos referenciados. No caso de você considerar que algo nesta página viola as Regras da Casa do site, sinalize este objeto.


Valores de moedas de ouro

Os valores das moedas de ouro para os principais tipos de moedas dos EUA estão listados abaixo. Os preços são valores de atacado e listados em quatro categorias diferentes de "Condições".

A beleza das moedas de ouro não circuladas mostra por que todo colecionador de moedas deseja pelo menos uma. Todos são escassos, a maioria das datas é rara e, com o passar dos anos, os valores das moedas de ouro tendem a aumentar.

Manuseie suas moedas com cuidado, todas têm o potencial de exceder em muito o mínimo.

Encontrando as moedas de ouro raras

Colecionadores e negociantes usam as seguintes características para separar o comum do raro.

  • Uma verificação da data.
  • Uma inspeção cuidadosa para a presença de uma marca da casa da moeda.
  • Uma avaliação lenta e deliberada da condição.
  • E, finalmente, usam uma referência para identificar qualquer variedade rara e pouco conhecida.

Todas essas variáveis: data, marca da casa da moeda, condição e variedade são consideradas cuidadosamente para chegar aos seus verdadeiros valores de moedas de ouro. Todos são abordados abaixo.

Valores listados para as datas comuns em cada série

Prices of gold coins listed below on the value chart are wholesale and listed in four different "Condition" categories. Additionally they represent the most common coins of each denomination and type. These are the minimums of what you would expect to receive should you sell.

Gold Coin Values
Condition of Coin
EncontroVery FineExtremely
Fine
Cerca de
Uncirculated
Uncirculated
Gold Coin Values Updated 6/14/2021
$2.50 Liberty 1840-1907
$270 $293 $307 $337
$2.50 Indian 1908-1929
$255 $270 $278 $334
Liberty Five Dollar Gold 1839-1908
$420 $428 $428 $453
Indian Five Dollar Gold 1908-1929
$420 $428 $436 $481
Liberty Ten Dollar Gold 1838-1907
$851 $855 $860 $884
Indian Ten Dollar Gold 1908-1933
$868 $877 $888 $904
Liberty Twenty Dollar Gold 1850-1907
$1,720 $1,723 $1,729 $1,775
Saint-Gaudens Twenty Dollar Gold 1907-1933
$1,720 $1,725 $1,731 $1,783

All US gold coins are scarce and this series is no exception. Small mintages, and widely circulated, resulting in few surviving until today. Almost a one- eighth of an ounce of gold also underlines the high minimum value.

The $2.5 Indian is the smaller version of the five dollar gold Indian. Featuring the Incuse design and minted for a short period, it is eagerly collected. Examine your coins closely, condition is the key to finding higher value.

Always in demand with stable values. Liberty gold coins span decades with many scarce and rare dates. Discover your Liberty five dollar gold coin value.

With a unique Incuse design collectors either appreciate them greatly or consider them unattractive. However their values in uncirculated condition indicate a huge demand. A short series with a few rarities, a loyal following and high minimum values. Check the values of your coins on the chart.

Many rare dates and mints to discover. Liberty tens are a rare and historic coin. Few exist in well preserved condition. Study the details of your coins carefully to find their true value.

A very "modern" design attracts many collectors. They seek better condition coins. Almost a half ounce of gold keeps the minimum value in the hundreds of dollars. However, the high condition coins command the largest premiums.

Huge in size, classic in style and high minimum values. Every collector would like to own a US twenty dollar gold piece. The series abounds with rare dates and mints. Compare your coins to the grading images to find the highest value on the chart.

A true American coin. Large and majestic, very popular with collectors. Always in demand, nicer condition coins attract great minimum values. The gold coin value chart highlights the premiums paid for rare dates, mints and condition.

Continue the journey and discover the value of the rest of your coins.

★ Coin Values Discovery. finds Gold Coin Values and. All old US coin values. It is an excellent index with images and text links to all coin series, from Cents to Gold. Value charts, grading images and descriptions uncover how much your box of old coins is worth.

All US gold coins are scarce, many rare. Having a good idea of their minimum value is important especially when considering selling your coins and finding potential gold coin buyers. Visit specific pages dealing with the exact demolition of your coin and judge closely not only date and mintmark but importantly condition.


Gold Coin of Nikephoros I - History

‘Women on the throne’ was a less common picture during the ancient and medieval times but was not unheard of. A number of civilizations offer their gratitude to these fine and capable rulers who broke down the stereotypical barriers of the society and left behind a glorious legacy. The Byzantine Empire is no excuse. The Coinage of the Byzantine Empire gives an ample amount of examples of the women ruling with iron fist. Coins of Empress Irene are the testimonies of another Iron Lady of the Byzantine Empire.

Empress Irene of Athens was the first female ruler of the Byzantine Empire. Born between 750 and 755 into a noble family of Athens, she was chosen to be a bride of Leo IV – the son of Emperor Constantine V. Overnight, this orphan noble girl became a bride of an Heir of Byzantine Emperor. Emperor Constantine V died making Leo IV the next emperor. By the end of year 776, Leo IV ascended to the throne at the age of twenty-five years, with Irene as his empress consort.

This is how this Orphan girl became an Empress – the first Empress of the Byzantine Empire. The First Coins of Empress Irene were joint issues, issued along with her Husband. The first coins of Empress Irene are of two types

  1. a) The Gold Solidus that depict the portraits of both king and queen. The King is on right and the Queen is on left. The king is clean-shaven and wearing a crown, with a cross on globe in his hand. Irene is on the left wearing loros and holding sceptre surmounted by a cross. A cross is seen between their head. The reverse shows the portrait of Constantine V flanked by Leo III and Leo IV (The three generations ruled the Empire). All seated facing wearing crown and chlamys.
  2. b) The other Gold was issued when she became a regent for their nine-year-old son Constantine VI. The coin depicts the crowned bust of Irene facing and holding cross on the globe as well as scepter surmounted by a cross on the obverse. This signifies that Empress Irene is now playing the roles of both the Emperor and the Empress. On the other side of the coins, a bust of the new emperor is portrayed.

A couple of weeks after the death of Leo IV Irene was confronted with a conspiracy led by a group of prominent dignitaries that sought to raise Caesar Nikephoros, a half-brother of Leo IV, to the throne. Smart Empress Irene tackled this issue without the loss of a single drop of blood. She replaced all of them with dignitaries who were loyal to her and had Nikephoros and his four brothers ordained as priests, a status which disqualified them from the ruling. After this incident, Empress Irene appears to have been well aware that her position as regent was insecure. Hence she proclaimed herself and the next Empress of Byzantine and began ruling from the throne. Now, on the coins of Empress Irene only depict her Image. These coins of Empress Irene are known for her sole reign.

  1. b) These Gold Solidus depict the facing bust of Irene holding cross on globe and sceptre surmounted by a cross on the obverse and the same bust on the reverse. This type of coin is also found in different variety.
  2. a) This type of coins of Empress Irene bears the portraits of the Empress similar to the previous type. However, in this type, a dot appears on the left flan on the obverse and the letter “C” appears in the left flack on the reverse. The Significance of such variety is not clear.

The Coins of Empress Irene are not only issued in Gold but also are found in copper. Two types of copper Follis were issued during her reign. One as a joint issue with her son Constantine VI and the other for her sole reign!

  1. a) The first type depicts crowned bust of Irene holding cross on globe and cross-headed scepter and the reverse depicts crowned bust of Constantine VI, holding cross on globe, cross with a horizontal line beneath which has large M below with, X to left, N to right, A below.
  2. b) The second type signifies her sole reign. These types depict crowned facing bust of Irene similar to other coins. On the reverse, the coin depicts Large M with XXX to left, cross above, NNN to right, A below.

As monarch, Irene called herself “basileus” (’emperor’), rather than “basilissa” (’empress’). During the reign, Irene had to face many challenges which she tackled with utmost bravery and wit. She subdued a rebellion led by Elpidius, the strategos of Sicily, suppressed Abbasid attacks. She was most notably remembered for ending iconoclasm and the veneration of icons (images of Christ or the saints). However, with the advent new century, she saw her exit from the politics. In 802 the patricians conspired against her and placed Nikephoros, the minister of finance on the throne. Irene was exiled to Lesbos and forced to support herself by spinning wool. She died the following year.

As the first Empress of the Byzantine Empire, Irene had set up and excellent example and a path that was followed by a few women who became powerful empress in the course of time. The coins of Empress Irene prove to be an excellent account to narrate her story.

The Mintage World Team comprises of experts, researchers and writers from the field of Philately, Notaphily and Numismatics who try to shed light on some of the most interesting aspects of coins, banknotes and stamps from not just India but across the globe as well.


GoldPrice

1 ounce Chinese Panda Gold Coins available from JM Bullion.

1 ounce Australian Kangaroo Gold Coins available from JM Bullion.

1 ounce Canadian Gold Maple Leaf Coins available from JM Bullion.

1 ounce Krugerrand Gold Coins available from JM Bullion.

1 ounce Vienna Philharmonic Gold Coins available from JM Bullion.

1 ounce American Buffalo Gold Coins available from JM Bullion.

1 ounce American Gold Eagle Coins available from JM Bullion.

Gold Coins Overview

When it comes to investing in physical gold, there are numerous choices available. Investors can go with gold bullion bars, bullion coins, collectibles and more. Although gold coins may have slightly higher premiums than gold bullion bars, the coins also carry a face value and are considered good, legal tender. Investors do not buy gold coins for their face value, however, they buy them for their gold content or collectibility. Gold coins offer investors a way to invest in gold that is simple, convenient and efficient.

Gold coins are small and can therefore be stored in a home safe, a bank safe deposit box or in the depository of your choice. Gold coin offerings have expanded greatly over the years, and now come in numerous weights. Smaller weight gold coins may be relatively more affordable and might be a good choice for smaller investors and those on a tight budget. In addition, certain gold coins may be eligible for purchase in an IRA account. Of course, you should check with your tax professional about rules and eligibility before purchasing gold coins for an IRA account.

Gold coins are minted by numerous government mints and come in numerous sizes and with many different designs. Highlighted below are some of the most popular gold coins on the market today:

The 1 ounce American Gold Eagle: The American Gold Eagle coin is one of the most popular gold coins in the world. It is produced by the U.S. Mint and carries a face value of $50. The coin is 22 karat gold, and therefore has a purity of 91.67%. The coin contains one full troy ounce of gold. These coins feature the famous Augustus Saint-Gaudens Lady Liberty image.

The 1 ounce Canadian Gold Maple Leaf: The Canadian Gold Maple Leaf features the iconic Canadian maple leaf design and is produced by the Royal Canadian Mint. The Canadian Gold Maple Leaf coin is minted with 999.9 percent fine gold, making it one of the purest gold coins on the market today. The coin has a $50 CAD face value.

The 1 ounce Vienna Philharmonic Gold Coin: This stunning gold coin is produced by the Austrian Mint and contains 1 troy ounce of 999.9 percent fine gold. The coin’s design pays tribute to the Austrian Philharmonic Orchestra and it carries a face value of 100 euros (it previously was denominated using the Austrian Schilling).

Although 1 ounce gold coins may be some of the most popular, smaller gold coins have also gained traction with investors. Gold coins are available in many smaller weights including 1/25th of an ounce, 1/10th of an ounce, ¼ ounce and ½ ounce. These coins may carry smaller face values as in addition to containing a smaller amount of gold.

Whatever gold coins you choose, you can buy them with confidence as they are minted by some of the finest mints in the world. As an investment, gold coins offer a simple and convenient way to acquire gold bullion while building a portfolio of different coins.


Gold Coins Have Never Sold at Premium This High for So Long

Sales of retail gold coins are revealing just how desperate investors are to find a safe haven.

People have always been willing to shell out more for retail coins than gold sold in the spot market. But that premium has more than doubled -- and at times quadrupled -- over the past two weeks as investors seek a safe place to park their cash in the face of global market turmoil.

Dealers such as Gainsville Coins have never seen prices this high for this long. “Virtually every dealer in the country” has been so overwhelmed by demand that orders are backed up by at least a month, said Everett Millman, a precious-metals specialist at the Florida firm.

The coronavirus pandemic that’s roiled markets isn’t just stoking demand for the haven. It’s also paralyzing supply. Around the world, flights are getting canceled, trucks are getting held up and metal refiners are shutting, making it harder for traders and banks to shuttle their gold to vaults in major trading hubs such as London and New York.

“Some wholesalers are currently not taking orders,” said Ronan Manly, an analyst at Singapore dealer BullionStar. “Wholesalers, mints and refiners are either low on stock or out of stock.”

Supply for bullion coin orders is limited at the Royal Canadian Mint, which has temporarily suspended production in response to public-health measures to contain the virus, according to spokesperson Alison Crawford.

American Eagle gold coins are selling at a 5% premium, the highest over the spot price since the 2016 Brexit vote, according to Gainsville Coins’ Millman.

Spot gold is trading down about 1.3% near $1,610 an ounce, after rising the past three sessions. Bullion futures also fell to settle at $1,634.30.

Along with surging prices, Gainsville Coins is facing a month-long delivery backlog.

“When you look at a jump in the premium like that, that’s definitely an indication that demand is higher than supply,” Millman said. 𠇊ll the supply chains are backed up for at least a month.”

As recently as two weeks ago, premiums for gold coins were at 1% or 2%, according to Millman. Silver coins are also in demand, with premiums for that metal at 50% over the spot price, compared with just 5% a couple of weeks earlier.


American Eagle Gold Bullion Coins

The U.S. Mint produces American Eagle Gold Bullion Coins in four weights: one ounce, half ounce, quarter ounce, and tenth ounce. The coins are 22-karat gold, plus small amounts of alloy. This creates harder coins that resist scratching and marring, which can diminish resale value. Bullion coins are coins whose weight, content and purity are guaranteed by the United States government. They can also be included in an IRA.

The obverse design of the American Eagle Gold Bullion Coins is inspired by Augustus Saint-Gaudens’ celebrated $20 gold piece, the “Double Eagle.” It was minted from 1907-1933 and is often considered one of America’s most beautiful coins. In 2021, the U.S. Mint marked the 35th anniversary of the American Eagle Coin Program with a refreshed design. The Mint used historical assets such as the original bronze cast to closer reflect Saint-Gaudens’ original vision. The refresh includes modifications to the Capitol Building, stars, torch, sun rays, and other design elements.

Since 2021, the reverse shows a portrait of an eagle. To give the new coins an added level of security, they have also been updated with enhanced security features, including a reeded edge variation.

From 1986 to 2021, the reverse, by sculptor Miley Busiek, depicted an eagle carrying an olive branch flying above a nest containing a second eagle and hatchlings.

Gold bullion coins are easy to buy and sell. Locate an authorized dealer. Prices are based on the market price of gold, plus a small premium to cover minting and distribution costs.


Assista o vídeo: TRATO FEITO - MOEDA DE 20 DOLLARES DE OURO DE 1861 (Pode 2022).