Podcasts de história

Cerco patriota de Noventa e Seis, Carolina do Sul, começa

Cerco patriota de Noventa e Seis, Carolina do Sul, começa


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em 22 de maio de 1781, o major-general Nathanael Greene e 1.000 patriotas tentam um ataque ao vilarejo crítico de Noventa e Seis, no interior da Carolina do Sul. Depois de não conseguir tomar o assentamento fortificado, eles iniciaram um cerco a ele, que durou até sua retirada em 18 de junho, tornando-o o mais longo da Guerra Revolucionária.

Noventa e Seis, no rio Saluda, foi fundamental para a defesa da porção noroeste do estado e a posição mais estrategicamente importante na Carolina do Sul depois de Camden. Era tripulado por 550 legalistas comandados pelo tenente-coronel britânico John Harris Cruger. Os Patriotas sitiaram a cidade a partir de 22 de maio, usando linhas de cerco - trincheiras e estruturas construídas para o uso do exército sitiante e sua artilharia - que foram projetadas pelo notável talento de engenharia do Exército Continental Thaddeus Kosciusko e são consideradas o melhor exemplo de sua espécie nos Estados Unidos.

Quando os patriotas souberam que o tenente-coronel britânico Francis Rawdon estava a caminho para reforçar os legalistas, eles começaram um ataque preventivo liderado pelo major-general Nathanael Greene em 18 de junho. Incapazes de romper as defesas do Forte Estelar de Noventa e Seis, os Patriotas foram forçados a recuo, com 185 vítimas Patriot para apenas 75 para os defensores legalistas. Lord Rawdon chegou e o General Greene retirou-se em 19 de junho.

Embora Greene não tenha conseguido remover os britânicos do Noventa Seis, ele e o general de brigada Francis Marion, da milícia da Carolina do Sul, foram notavelmente bem-sucedidos em retomar outros postos avançados britânicos, capturando cinco outros antes de sua tentativa em Noventa e Seis. Quando os britânicos deixaram o Ninety Six por conta própria, em 1o de julho de 1781, era o último forte legalista na Carolina do Sul.

LEIA MAIS: 5 Espiões Patriotas da Revolução Americana


Noventa e seis

A cidade de Noventa e Seis, assim chamada porque ficava a 96 milhas da aldeia Cherokee mais próxima, já foi uma encruzilhada principal do oeste da Carolina do Sul. Em 1700, doze estradas passavam pela cidade - mais do que passavam por Gettysburg, Pensilvânia em 1863.

A guerra chegou rapidamente a Noventa e Seis. Em novembro de 1775, as milícias Whig e legalistas se enfrentaram em uma batalha de três dias pelo controle da cidade, que culminou em uma trégua incômoda. Este, o primeiro compromisso fora da Nova Inglaterra, trouxe um caráter nacional para a revolução crescente.

A tensão aumentou durante a década de 1770, enquanto o exército britânico continuava a se concentrar na guerra na Nova Inglaterra. Não conseguindo subjugar essas colônias, o conflito aberto voltou a Noventa e Seis quando os britânicos implementaram a Estratégia do Sul de 1778. Uma guerra civil selvagem estourou nas Carolinas quando os britânicos despejaram tropas na região. Apesar das batalhas sangrentas e do terror constante, os anos se passaram sem que nenhum dos lados ganhasse a vantagem. Em março de 1781, Lord Cornwallis transferiu a principal força britânica para a Virgínia. O general americano Nathanael Greene respondeu lançando uma nova campanha para retomar as Carolinas.

Como a iluminação de calor, Greene capturou uma série de fortes britânicos pouco sustentados ao longo do mês de abril. Os remanescentes britânicos concentraram-se em Ninety Six e em Charleston. Greene avançou primeiro no Noventa e Seis, esperando encontrar resistência determinada.

O Ninety Six era protegido pelo formidável Star Fort e pelo menor Stockade Fort. Sua guarnição era composta quase inteiramente de colonos leais. Os soldados de Greene sitiaram a cidade, abrindo trincheiras que ziguezagueavam em direção às posições britânicas.

O cerco de Greene durou de 22 de maio a 18 de junho, um dos mais longos cercos da Revolução. Os legalistas conseguiram manter o controle do abastecimento de água de Spring Branch, evitando assim uma grande crise. Enquanto isso, Greene dividiu suas forças e enviou "Cavalo Leve" Harry Lee para capturar Augusta, Geórgia, o que eles fizeram, retornando em 8 de junho.

Logo depois, Greene recebeu a notícia de que as tropas britânicas estavam marchando de Charleston para socorrer Ninety Six. Com uma última chance de cumprir seu cerco, Greene lançou um ataque total em 18 de junho.

A luta foi sangrenta. Os grupos de assalto americanos rasgaram sacos de areia legalistas e capturaram os dois fortes apoiando o fogo dos atiradores em uma torre nas linhas americanas. Os teimosos casacas vermelhas se reagruparam, no entanto, e retomaram os fortes com baionetas e mosquetes de porrete. Greene interrompeu o ataque e retirou-se, encerrando o cerco. Os legalistas eventualmente se retiraram também, queimando a cidade atrás deles.

Os americanos sofreram 147 baixas, os britânicos 85. Embora Greene não tivesse conseguido vencer Ninety Six, ele havia iniciado sua campanha com ousadia. Suas operações contínuas nas Carolinas seriam essenciais para a vitória geral dos Estados Unidos na guerra.


Cerco patriota de Ninety Six, Carolina do Sul, começa - 22 de maio de 1781 - HISTORY.com

TSgt Joe C.

Neste dia de 1781, o major-general Nathanael Greene e 1.000 patriotas tentam um ataque ao vilarejo crítico de Noventa e Seis, no interior da Carolina do Sul. Depois de não conseguir tomar o assentamento fortificado, eles começaram um cerco a ele, que durou até sua retirada em 18 de junho, tornando-o o mais longo da Guerra pela Independência.

Noventa e Seis, no rio Saluda, foi fundamental para a defesa da porção noroeste do estado e a posição mais estrategicamente importante na Carolina do Sul depois de Camden. Era tripulado por 550 legalistas comandados pelo tenente-coronel britânico John Harris Cruger. Os Patriotas sitiaram a cidade a partir de 22 de maio, usando linhas de cerco - trincheiras e estruturas construídas para o uso do exército sitiante e sua artilharia - que foram projetadas pelo notável talento de engenharia do Exército Continental Thaddeus Kosciusko e são consideradas o melhor exemplo de sua espécie nos Estados Unidos.

Quando os patriotas souberam que o tenente-coronel britânico Francis Rawdon estava a caminho para reforçar os legalistas, eles começaram um ataque preventivo liderado pelo general Nathanael Greene em 18 de junho. Incapazes de romper as defesas do Forte Estelar de Noventa e Seis, os patriotas foram forçados para recuar, com 185 baixas Patriotas para apenas 75 para os defensores legalistas. Lord Rawdon chegou e o General Greene retirou-se em 19 de junho.

Embora Greene não tenha conseguido remover os britânicos do Noventa e Seis, ele e o general de brigada Francis Marion, da milícia da Carolina do Sul, tiveram um sucesso notável na retomada de outros postos avançados britânicos, capturando cinco outros antes de sua tentativa em Noventa e Seis. Quando os britânicos deixaram o Ninety-Six por conta própria, em 1o de julho de 1781, era o último forte legalista na Carolina do Sul.


A Força Patriota chega

Depois de uma série de derrotas desastrosas na Carolina do Sul, George Washington, chefe do Exército Continental, entrou em ação. Ele nomeou o general Nathanael Greene para comandar as forças patriotas no sul em dezembro de 1780. Greene dirigiu para o interior na esperança de tomar as principais fortalezas legalistas, como Ninety Six.

Em 22 de maio de 1781, as tropas de Greene desceram por essas terras da estrada Island Ford na escuridão chuvosa. Encharcados até a pele por uma forte chuva de primavera, eles carregaram artilharia pesada, suprimentos e ferramentas. As tropas consistiam de soldados do Exército Continental de Maryland, Delaware e Virgínia e milícia da Carolina do Norte. Essa força de quase 1.000 se dividiu e se espalhou ao redor da cidade, convergindo em duas direções para bloquear o acesso a comida, água e reforços.

Mas o tenente-coronel John Harris Cruger, o comandante legalista guarnecido em Noventa e Seis, esperava a chegada de Greene e se preparou bem. Suas defesas eram fortes. Os Patriotas que chegavam teriam visto uma cidade fortificada com uma forte paliçada, fortificações e bastiões, bem como terraplenagem para proteger o abastecimento de água da cidade. Um grande forte em forma de estrela defendia o lado norte da cidade perto da Island Ford Road.

Quando os homens cansados ​​de Greene começaram a estabelecer um acampamento perto daqui, em 22 de maio, o comandante ponderou suas opções. Ele tinha inadequada

artilharia e nenhuma promessa de reforços. Seguindo o conselho de seu engenheiro-chefe, ele decidiu lançar um cerco contra o coração da defesa legalista: o Forte Estelar.

Erguido em 2009 pelo National Park Service.

Tópicos Este marcador histórico está listado nestas listas de tópicos: Fortes e Castelos & Bull Patriots & Patriotism & Bull War, US Revolutionary. Um mês histórico significativo para esta entrada é maio de 1886.

Localização. 34 & deg 8.865 & # 8242 N, 82 & deg 1.134 & # 8242 W. Marker está em Ninety Six, Carolina do Sul, no condado de Greenwood. O marcador está na South Cambridge Street. O marcador está localizado próximo ao final da trilha de caminhada da floresta no Parque Nacional Ninety Six. Toque para ver o mapa. O marcador está nesta área dos correios: Ninety Six SC 29666, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 10 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. Comerciante com Pack Horse (a poucos passos deste marcador) Island Ford Road (a poucos passos deste marcador) The Patriots Lay Siege ao Star Fort (a uma distância de gritar deste marcador) As Fortificações Britânicas (a uma distância de grito deste marcador) um marcador diferente também chamado The Patriots Lay Siege ao Star Fort (a uma distância de grito deste marcador) Patriot Soldier (a uma distância de grito deste marcador) A Artilharia (a uma distância de grito deste marcador) Mudança Ambiental da Floresta ao Parque

(cerca de 300 pés de distância, medido em uma linha direta) Primeiro Paralelo (cerca de 300 pés de distância) Segundo Paralelo (cerca de 300 pés de distância). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores no Ninety Six.

Mais sobre este marcador. O marcador mostrado na Foto 4 é a nova versão do marcador.

Veja também . . .
1. Ninety Six National Historic Site (U.S. National Park Service). Aqui, os colonos lutaram contra o duro sertão para sobreviver, os índios Cherokee caçaram e lutaram para manter suas terras, duas cidades e um posto comercial foram formados e abandonados aos elementos, e duas batalhas da Guerra Revolucionária que ceifaram mais de 100 vidas aconteceram aqui. (Enviado em 7 de setembro de 2008, por Brian Scott de Anderson, Carolina do Sul.)

2. Nathanael Greene. Nathanael Greene (7 de agosto de 1742 & # 8211 19 de junho de 1786) foi um major-general do Exército Continental na Guerra Revolucionária Americana. (Enviado em 7 de setembro de 2008, por Brian Scott de Anderson, Carolina do Sul.)


História de Noventa e Seis

Para uma pequena cidade do sul, Ninety Six tem um pedigree sério. Fundada no início do século 18, a cidade teve destaque na Guerra Anglo-Cherokee e nas campanhas do sul da Guerra Revolucionária Americana.

Ninety Six National Historic Site narra a linhagem deste vilarejo colorido, que já foi um entreposto comercial que oferecia tecidos, contas, rum e pólvora para colonos e índios da região.

Depois de protelar dois ataques Cherokee em meados de 1700, o posto no interior tornou-se um foco de um boom terrestre britânico. Pelo menos 100 pioneiros se estabeleceram aqui e construíram casas, um tribunal e uma prisão de tijolos. Quando a Revolução começou, a maioria dos colonos permaneceu leal à Grã-Bretanha. A vila tornou-se uma fortaleza legalista e foi fortificada pelos britânicos em 1780.

Junto com uma paliçada ao redor da vila, as forças britânicas construíram um forte em forma de estrela de enormes aterros de terra. O Star Fort se tornaria o alvo de um cerco de 28 dias em 1781 liderado pelo general do Exército Continental Nathaniel Greene e mil patriotas. Seu plano era construir um túnel através do qual suas tropas explodiriam a guarnição. Apesar de ultrapassar em número os Red Coats quase dois para um, a campanha não teve sucesso.

Aterros do forte e cerca de 35 pés do túnel sobreviveram na floresta por mais de 200 anos. Hoje, o National Park Service opera um centro de visitantes e um pequeno museu contendo artefatos encontrados no local, bem como outras relíquias de época.

Recentemente visitei Ninety Six e caminhei pela trilha interpretativa de uma milha que leva você aos restos do Star Fort, o local original de Ninety Six, uma reconstrução do Stockade Fort e uma casa de toras de dois andares construída no final dos anos 1700 .

Duas trilhas arborizadas fora do caminho pavimentado levam ao Star Fort Pond e ao local do entreposto comercial colonial. Vou contar mais sobre isso em um próximo blog.

No centro de visitantes, você pode assistir a um vídeo de 20 minutos sobre a batalha e pegar um mapa do passeio a pé. Sinais interpretativos ao longo do caminho fornecem detalhes da estratégia de batalha de Greene e da construção da fortificação britânica.

Você não precisa ser um aficionado por história para apreciar as dificuldades que os dois lados enfrentaram na guerra em solo americano. Na melhor das circunstâncias, a vida era um desafio.

Se você estiver viajando para Upstate, pare na Ninety Six e dê uma olhada em primeira mão neste local histórico. O parque está aberto das 9h às 17h Diário. A entrada é gratuita. Se você quiser embalar um almoço, uma área de piquenique está disponível perto do estacionamento de visitantes.

Para saber mais sobre o Ninety Six, clique aqui ou ligue para o escritório do parque em (864) 543-4068.


A batalha começa

Augusta era composta por dois fortes a menos de meia milha um do outro, um menor em Fort Grierson e as defesas principais, Fort Cornwallis. Em Fort Cornwallis, o maior dos dois cargos, estava o coronel Thomas Brown com 240 homens, incluindo os King’s Carolina Rangers, e mais 200 negros, alguns dos quais podem estar armados. Fort Grierson foi defendido pelo Tenente. Coronel James Grierson com duas peças de artilharia e cerca de 80 legalistas da Geórgia. O terreno ao redor de Augusta era bastante plano e nivelado, então não havia terreno com vista para a cidade, embora houvesse algumas casas situadas não muito longe de Cornwallis.

Em 23 de maio, o corpo principal das forças de Lee & # 39s chegou em Augusta. A meia milha a oeste de Fort Grierson ficava Fort Grierson. Foi rapidamente invadido pelos americanos. A guarnição do forte tentou abrir caminho para o Forte Cornwallis, mas foi impedida. A maioria foi capturada e 30 homens foram mortos. O Forte Grierson foi cercado, com Brown disparando seu canhão contra as tropas de Lee. Lee fez com que seus homens construíssem uma Maham Tower perto do forte. Havia uma casa abandonada entre a torre e o forte. Brown secretamente mudou um pouco de pólvora para dentro de casa

Brown elaborou um plano para enviar um Tory disfarçado de & # 34deserter & # 34 para as linhas americanas. A missão do desertor era queimar a torre e fazer com que a força de Lee incendiasse a casa para limpar seu campo de visão. Brown planejava explodir a casa quando os americanos a cercaram para atacar o forte. Lee farejou o plano conservador e prendeu o desertor. Lee então destruiu a casa.

Em 31 de maio, Brown teve outra chance de render suas forças, que ele recusou novamente. Ao se aproximarem do Fort Cornwallis, os americanos cavaram trincheiras e, mais tarde, usaram as torres Maham, as primeiras erguidas na noite de 30-31 de maio, nas quais montaram um canhão de seis libras, que desativou o próprio canhão de seis libras da Brown & # 39 ( ou então dois canhões, um dos quais era um canhão de seis libras.) Brown havia tentado sem sucesso, por meio de surtidas, sabotar tanto a trincheira (quando estava sendo trabalhada) quanto a torre Maham. No caso de uma das torres, o subterfúgio, à maneira de um soldado britânico disfarçado de desertor de Brown, também foi tentado. Em um ponto do cerco, Brown também colocou explosivos em uma casa próxima usada por atiradores rebeldes, na esperança de pegá-los lá. No entanto, os explosivos foram detonados no momento em que a casa estava vazia. Em comparação com os primeiros cercos aos postos avançados britânicos, Augusta foi longa e árdua, envolvendo muitos bombardeios e tiroteios entre os sitiantes e a guarnição. Duas das peças de campo de Brown foram desmontadas em 2 de junho.

Em 4 de junho, A força de Lee se formou para um ataque final ao forte quando Brown concordou em considerar uma rendição condicional. Brown decidiu que não poderia mais resistir à artilharia e aos fuzileiros montados nas torres. Apesar da defesa vigorosa e vigorosa por parte dele e de seus provincianos, ele foi forçado a entregar o forte a Pickens e Lee, o primeiro como oficial americano graduado e o último representando o Exército Continental.

Em 5 de junho, Fort Cornwallis em Augusta rendeu-se a Pickens e Lee. Lee voltou para se juntar a Greene no Ninety-Six. Pickens permaneceu em Augusta removendo os estoques levados para lá, mas no dia 17 também havia se juntado a Greene. Depois que Pickens saiu, Major, agora Tenente. Col. James Jackson assumiu o comando do posto. A libertação do interior da Geórgia da ocupação britânica tornou possível o renascimento de um governo estadual mais normal. Uma das primeiras medidas foi formar milícias e tropas estaduais para cooperar com os Continentais. Embora uma Legião do Estado da Geórgia tenha sido criada posteriormente sob Jackson, o estado não tinha fundos para pagá-los. Em vez disso, usaram-se terras, escravos, cavalos, roupas, provisões e sal, geralmente confiscados dos conservadores. Os ex-legalistas tiveram a oportunidade de provar sua nova lealdade americana servindo na milícia ou nas tropas estaduais. “Mas, pela necessidade de muitos de provar sua lealdade aos Estados Unidos, é duvidoso que houvesse alguma tropa estadual digna de menção.”

As baixas britânicas, com base imediatamente após os relatórios de cerco, foram 52 mortos e 334 capturados, ou seja, Brown plus, 7 oficiais, 7 oficiais leais, 162 provinciais e 130 milícias conservadoras e & # 34sobre & # 34 200 negros. Perda diz que “Os americanos tiveram dezesseis mortos e trinta e cinco feridos. A perda dos britânicos foi de cinquenta e dois mortos e trezentos e trinta e quatro, incluindo os feridos, foram feitos prisioneiros de guerra. ” Os oficiais levados foram em liberdade condicional para Savannah, enquanto os soldados rasos foram enviados para o norte como prisioneiros. Estes últimos foram escoltados até Noventa e Seis pelo regimento do Maj. Samuel Hammond & # 39s, e o destacamento dos N.C. Continentals, que agora estavam sob o comando do Capitão Robert Smith. Smith substituiu o major Pinkertham Eaton, após a morte de Eaton no dia 24. durante a luta antes de Fort Grierson. Nenhuma menção é feita aos índios Creek que estiveram presentes em abril, mas que aparentemente conseguiram fugir para casa algumas semanas antes da rendição.

Tarleton Brown: “Agora comandamos o cerco do forte de Brown of Brown. Ao tomar este forte, tivemos grande dificuldade. Elevamos uma plataforma de quinze ou vinte pés de altura, montamos um canhão nela e dali atiramos contra eles no forte. Desse modo destruímos muitos deles, mas descobrindo que éramos muito difíceis para eles dessa forma, e para se protegerem dos trovões e relâmpagos de nossa plataforma, eles cavaram várias cavernas nas laterais das paredes do forte e rastejamos nelas, continuamos a entrincheirar e, à medida que entrincheirávamos, enrolamos peles de vaca e as colocamos no aterro para que as vigias pudessem passar. Certa manhã, eu estava ao lado do jovem Stafford, que estava prestes a atirar por uma de nossas vigias, e uma bola veio do forte e o matou. O jovem Stafford estava [antes] comigo no General Marion & # 39s Army, e ele era, de fato, um cara corajoso e patriota, e morrendo em liberdade & # 39s causa, sua memória nunca deve desaparecer de nossa lembrança. Antes que Brown se rendesse, entrincheiramo-nos tão perto de seu forte que passei uma enxada da trincheira para o forte. Ao descobrir que estávamos tão perto dele, ele marchou e se rendeu com todas as suas forças e bens. Brown tinha sido um sujeito tão desesperado que existia uma grande ansiedade para matá-lo, mas como ele entrou em capitulação, não tivemos chance de fazê-lo neste momento, mas decidi fazê-lo em seu caminho rio abaixo. Peguei alguns bravos companheiros e desci o rio para levar em execução minha determinação, mas ele escapou, através das sombras da noite, em uma pequena canoa.”


6 comentários

Estava navegando no seu site e, sendo fuzileiro naval, parei para ver se o nascimento do USMC na Taverna Tun estava na sua linha do tempo.

DIÁRIO DO CONGRESSO CONTINENTAL
(Filadélfia) Sexta-feira, 10 de novembro de 1775

Resolveu-se que dois batalhões de fuzileiros navais sejam formados, consistindo de um coronel, dois tenentes-coronéis, dois majores e outros oficiais, como de costume em outros regimentos e que consistam em um número igual de soldados rasos com outros batalhões que devem ser tomados com especial cuidado, que nenhuma pessoa será nomeada para o cargo, ou alistada nos ditos batalhões, mas tais como bons marinheiros, ou tão familiarizados com assuntos marítimos que possam servir com vantagem no mar quando exigido que eles sejam alistados e comissionados para servir durante e durante o guerra atual entre a Grã-Bretanha e as colônias, a menos que seja rejeitada por ordem do Congresso: que sejam distinguidos pelos nomes do primeiro e segundo batalhões de fuzileiros navais americanos, e que sejam considerados como parte do número que o Exército continental antes de Boston é ordenado para consistir em.

Ordenado, Que uma cópia do acima seja transmitida ao General.

Obrigado, Aaron! Eu irei com certeza incluí-lo em minha próxima atualização.

Excelente! Eu li a coisa toda. Isso deve ser ensinado nas escolas. Ou pelo menos alguém poderia fazer uma série de filmes épicos mostrando o início e a progressão da rebelião e da guerra. Obrigado pelo seu trabalho nisso.
Doug Campbell

Trabalho incrível! Tiro o chapéu para você, grande momento!

Eu apenas dei uma olhada superficial, mas aqui estão duas coisas:
1. Existem dois & # 8220l & # 8221s em & # 8220 diversos. & # 8221
2. Em 1775/4 / 18-19, o Dr. Samuel Prescott deve ser adicionado. Na verdade, ele é o único dos três cavaleiros famosos (incluindo Paul Revere e William Dawes) que fez todo o caminho até Concord para alertar os habitantes de lá!

Acabei de verificar o final de 1776! Você relaciona a data de 1776/12/26 como quando GW e o exército cruzaram o Delaware, em seguida, lutaram a primeira Batalha de Trenton.

A data deve começar com o dia de Natal & # 82111776/12/25 & # 8211 porque a travessia do Delaware aconteceu na noite de Natal, começando logo após o anoitecer e continuando até as primeiras horas da manhã (até o dia 26).

Obrigada, Marlene! Você está correto em ambos os casos. Eu adicionei o Dr. Prescott ao Passeio da Meia-Noite e modifiquei ambas as entradas para a Batalha de Trenton para esclarecer o momento e o propósito da travessia.


Início do cerco patriota de Noventa e Seis, na Carolina do Sul - HISTÓRIA

A documentação histórica afirma que este forte de 1780 estava localizado na colina acima da Ninety-Six Village, foi estocado, tinha uma vala de fortificação formal e parapeito protegendo duas fortificações no interior, e teria evidências das trincheiras de aproximação paralelas do tenente-coronel Henry Lee presentes. A cidade de Noventa e Seis tinha treze estruturas, além da prisão e do tribunal. Um aterro é visível em cada lado da estrada de acesso ao condado que leva ao Star Fort, que foi construído pelos britânicos.

A paliçada original da cidade, o lealista tenente-coronel John Harris Cruger, abrangia uma área de 60 por 120 metros. A fortificação norte estava localizada no canto noroeste da paliçada, e havia um bastião no canto nordeste. Uma parede de paliçada estava no lado sul. A norte e oeste, uma vala foi localizada dentro da paliçada, mas no lado leste faltava uma vala interior. Esta vala pode ter sido cavada fora da paliçada. A sujeira seria então jogada contra a paliçada para dar proteção adicional.

Escavações mostram que o Forte da Estrela e o cerco variam em magnitude em relação às especificações dos manuais militares do século XVIII, mas a localização e as configurações básicas estão de acordo com as especificações. Os britânicos haviam garantido o Ninety-Six como base de operações no sertão em junho de 1780, e o Tenente General Charles, Lord Cornwallis, acreditava que Ninety-Six seria crucial para o controle do sertão assim que o Exército Britânico se movesse para o norte da Carolina do Sul . Lord Cornwallis deixou o tenente-coronel John Harris Cruger, um legalista de Nova York, encarregado do posto avançado, com ordens estritas para fortalecer todas as fortificações. As instruções do tenente-coronel Cruger também eram para ser "vigorosas" na punição dos rebeldes e na manutenção da ordem na área. O tenente-coronel Cruger usou a cidade fortificada de Ninety-Six como sua base de operações para enviar numerosos ataques e escaramuças contra os patriotas locais.

Uma série de eventos, começando no outono de 1780, colocou o sucesso da British Southern Campaign em dúvida. Em outubro de 1780, uma força da Milícia Patriota derrotou o Major Patrick Ferguson e seu corpo de Provinciais e Legalistas em Kings Mountain. O general de brigada Francis Marion estava fazendo campanha contra os legalistas britânicos no baixo país da Carolina do Sul, e o general de brigada Thomas Sumter manobrou suas forças patriotas contra alvos legalistas no interior da Carolina do Sul. Além disso, o major-general Nathanael Greene, o novo comandante do Exército Continental no Sul, havia dividido seu exército para se mover mais amplamente pelas Carolinas.

Lord Cornwallls, temendo pelo Ninety-Six e pelo controle britânico geral da Carolina do Sul, enviou unidades para remover a ameaça do Patriota. Os britânicos perderam muitos dos encontros que se seguiram, incluindo uma derrota significativa na batalha de Cowpens em janeiro de 1781. Lord Cornwallis e o Major General Greene se encontraram em março de 1781 no Tribunal de Guilford na Carolina do Norte. Os britânicos venceram este encontro, mas perderam quase um terço de sua força incluindo alguns dos melhores oficiais. Lord Cornwallis então mudou seu exército para Wilmington, Carolina do Norte, e o Major General Greene voltou sua atenção para a Carolina do Sul e, finalmente, para a retomada da Noventa e Seis. O Major General Greene esperava afrouxar o controle britânico sobre o sertão tomando o Ninety-Six e forçando o inimigo a voltar para Charlestown.

O general Nathanael Greene sitiou Ninety-Six em maio de 1781, mas nunca tomou o forte. Ele foi forçado a levantar o cerco um mês depois, quando os reforços britânicos avançaram em direção a Noventa e Seis. Os britânicos abandonaram o Ninety-Six em julho e voltaram para a costa, exatamente como os Patriots queriam. Isso sinalizou o fim do controle britânico do interior. A Campanha do Sul estava essencialmente encerrada. As forças britânicas se renderam em Yorktown quatro meses depois, efetivamente encerrando a guerra. O último ataque do Patriot foi liderado pelo tenente Samuel Seldon da Virgínia com o tenente Isaac Duval de Maryland. O capitão Joseph Pickens, irmão do Brigadeiro General Andrew Pickens foi morto neste cerco.

Desde o início de abril, os britânicos haviam perdido Fort Balfour (Harden), Fort Watson (Marion / Lee), Orangeburgh (Sumter), Friday's Ferry (Hampton), Fort Motte (Marion / Lee), Fort Granby (Lee), Fort Galphin ( Lee / Hammond), e evacuaram de Camden - os únicos três postos avançados britânicos significativos fora de Charlestown eram agora Augusta (GA), Georgetown e o bastante grande contingente britânico em Ninety-Six. Pequenos contingentes inimigos ainda permaneciam em Dorchester e Moncks Corner, mas não eram grandes o suficiente para preocupar os Patriots - ainda.

Quando os britânicos ganharam o controle da Ninety-Six após a queda de Charlestown em maio de 1780, eles cercaram a cidade com uma paliçada e reconstruíram o Fort Williamson. Além da cidade, havia outro reduto conhecido como Star Fort. Tinha duzentos pés de diâmetro e dez salientes ou pontas de estrelas. Uma vala e um abatis cercaram o Star Fort, que se tornaria a principal posição britânica durante o cerco final.

O tenente-coronel John Harris Cruger sabia que o Star Fort era a chave para suas defesas aqui e ele se preparou muito bem para o cerco inevitável que agora estava sobre ele. Além disso, a cidade de Noventa e Seis era cercada por altos muros construídos em um local elevado que fornecia uma clareira de uma milha ao redor do exterior.

Antes de deixar o posto avançado por conta própria, o Tenente General Charles, Lord Cornwallis despachou o Tenente Henry Haldane dos Royal Engineers para avaliar o forte e melhorar suas defesas. Lord Cornwallis também enviou um latão de 3 libras junto com uma carroça cheia de ferramentas de entrincheiramento.

O tenente Haldane construiu uma fortificação adicional a oeste da cidade, uma construção em chifre construída sobre o Forte Williamson, conhecida como Forte de Holme. Uma pista coberta estendia-se da prisão e descia uma encosta até uma ravina, onde corria um pequeno riacho - a única fonte de água do forte.

Um banco de terra, no qual um abatis havia sido construído, reforçava o exterior das paredes da paliçada. Os abatis reduziriam a velocidade de uma força de assalto, de modo que o fogo de canhões e armas pequenas pudesse eliminá-los. Dentro do forte, várias fortificações foram construídas. Uma plataforma de arma portátil foi construída na qual os defensores colocaram seus três canhões de 3 libras de latão.

Quando o coronel Francis, Lord Rawdon abandonou Camden, ele enviou mensagens ao tenente-coronel John Harris Cruger ordenando-o a evacuar o Ninety-Six e juntar-se ao tenente-coronel Thomas Brown em Savannah. Os homens do Brigadeiro General Andrew Pickens interceptaram essas ordens e gentilmente informaram ao Major General Nathanael Greene, que moveu sua força em direção ao Tenente-Coronel Cruger - chegando a Noventa e Seis em 21 de maio.

O Major General Green mandou seus homens lançar palavras terrestres para sua própria bateria de 3 armas antes do sol nascer em 22 de maio. Suas armas estavam a cerca de 130 metros do Star Fort. O engenheiro continental Thaddeus Kosciuszko traçou as linhas de cerco no padrão europeu típico. Ao longo deste primeiro dia, a artilharia Patriot disparou rodada após rodada no Forte Star. O Major General Greene sabia que seria uma perda de tempo pedir que o forte se rendesse, então ele pulou direto para a incursão. Não perguntar era considerado um insulto de acordo com os costumes da época. Para o inferno com os britânicos e seus costumes.

Por volta do meio-dia, o tenente-coronel Cruger "ardeu com indignidade" moveu sua plataforma de artilharia portátil na parede do reduto e naquela noite sua bateria abriu fogo contra os Patriots. Este disparo foi apenas um estratagema e foi um fogo de cobertura para um destacamento de 30 legalistas da Brigada de DeLancey liderada pelo tenente John Roney.

Os provinciais saíram do forte e mataram vários patriotas de um grupo de trabalho nas trincheiras nas proximidades. Eles encheram a trincheira de volta, capturaram alguns escravos carregando cargas de ferramentas de entrincheiramento e os levaram de volta ao forte. O tenente Roney morreu devido aos ferimentos que recebeu nesta breve missão.

Kosciuszko iniciou um novo paralelo mais para trás, a cerca de 1.200 metros do forte. A escavação era lenta e tediosa devido ao solo rochoso e ao calor. A construção foi interrompida periodicamente à noite com mais ataques legalistas para fora do forte atirando contra os grupos de trabalho de abertura de valas.

Em 3 de junho, o segundo paralelo foi concluído e os Patriots estavam a 180 jardas do Star Fort. O major-general Greene enviou agora o coronel Otho Williams com uma proposta de rendição, mas o tenente-coronel Cruger recusou, como esperado. O Major General Green então tentou o "truque da flecha de fogo velho". O tenente-coronel Cruger respondeu arrancando todos os telhados dos prédios e expondo aqueles que estavam dentro aos elementos todas as noites. Era verão, então a maioria agradeceu o fluxo de ar adicional.

Então, os Patriots tentaram minerar embaixo das paredes do forte, mas a boca da mina foi descoberta. Houve uma luta intensa por isso. Uma das vítimas foi Kosciuszko com um ferimento de baioneta. Outro foi o capitão Joseph Pickens - irmão do brigadeiro-general Andrew Pickens - que foi morto.

Em seguida, o Major General Greene ergueu uma Maham Tower de 12 metros em 6 de junho. Isso forçou os defensores a colocarem sacos de areia com lacunas entre eles. Major General Greene reported, "Not a Man could shew his Head but he was immediately shot down." Lt. Col. Cruger attempted to destroy the Maham Tower with heated cannon balls, but since the logs were green the tower would not ignite.

On June 8th, Lt. Col. Henry Lee and his Legion joined the seige. Then, Brigadier General Andrew Pickens came forth and marched his prisoners taken at Augusta in front of the defenders of Ninety-Six. This infuriated the Provincials. Lt. Col. Lee recommended that Major General Greene focus his efforts on Fort Holmes, which guarded the enemy's water supply. A second parallel was begun to keep the spring under fire.

Squire William Kennedy of the 2nd Spartan Regiment of Militia and another sharpshooter (Major Thomas Young*-see below) shot two men at the spring from 200 yards, causing all within the Star Fort to look around for where the snipers were located. This significantly slowed down those going after water. The Provincials then sent naked slaves out at night with a single pail to get water for the garrison.

On a dark and cloudy day, Lt. Col. Lee decided to make a second attempt at burning the fort. Sergeant Whaling and ten men from Lee's Legion were supposed to carry bundles of incendiary materials and set the garrison on fire. Sergeant Whaling knew that this was a suicide mission. He dressed himself neatly, told his friends goodbye, and slipped into the enemy's ditch. An alarm was sounded, and the Provincials attacked with a vengeance. Four of Lee's men returned, only one not wounded. Sergeant Whaling was killed - he only had two days until his enlistment expired.

On June 11th, Major General Nathanael Greene learned that a relief column of 2,000 soldiers under Col. Francis, Lord Rawdon were on the way from Charlestown. Many were fresh recruits from Ireland and were not accustomed to the heat of South Carolina in the summertime. Major General Greene immediately dispatched orders to Brigadier General Thomas Sumter and Brigadier General Francis Marion to gather their militias, to get in front of Lord Rawdon, and do everything possible to delay his arrival at Ninety-Six. He also ordered Lt. Col. William Washington and Brigadier General Andrew Pickens to go help Brigadier General Marion in any way they could.

Brigadier General Sumter's partisans did strike Lord Rawdon's column, but he didn't have many men supporting him at that point in time. Worse yet, Brigadier General Marion could not get his men up to speed quickly enough to even find Lord Rawdon, much less to slow him down. Major General Greene then decided to take the fort by force - time was quickly running out for the Patriots.

On June 17th, a heavy artillery barrage was aimed at Fort Holmes to soften it up for the upcoming attack. The fire was so heavy that the Provincials abandoned Fort Holmes - and their only water supply. In a two-pronged attack, one force was commanded by Lt. Col. Richard Campbell with a detachment of VA and MD Continentals going after the Star Fort. The other force was made up of Lt. Col. Henry Lee's Legion Infantry and the NC and DE Continentals led by Major Michael Rudolph going after Fort Holmes.

At noon on June 18th, the Patriots opened up with another intense artillery fire. Major Rudolph led his troops across the moat and after an hour of fighting was able to force his way into Fort Holmes. This he finally held, now waiting for Lt. Col. Richard Campbell's attack on the Star Fort. Lt. Col. Campbell's men raced into the the ditch around the Star Fort armed with long poles with hooks on one end. The men attempted to pull down the sandbags from the parapets and expose the defenders to fire from the Maham Tower. The enemy could not fire down upon the attackers without exposing themselves to the riflemen in the tower. Axe men cut down the abatis, and fascines were thrown into the ditch to fill it in.

When Lt. Col. John Harris Cruger saw the sandbags falling into the ditch, he took immediate action. He sent out two elements of Delancey's Provincials with bayonets affixed to take out the hookmen. There was a brief and bloody encounter in the ditch, with the Patriots getting the worst of it. Lt. Col. Campbell's men were driven back with heavy losses. The final Patriot attack was now a failure.

Major General Greene requested a cease fire to exchange prisoners and bury the dead, but Lt. Col. Cruger refused. He knew that whomever won would be allowed to bury the dead. The next morning, Major General Greene lifted his siege and marched away. He stopped his army about twenty miles away and learned that Lord Rawdon marched into Ninety-Six in the afternoon of June 21st.

Brigadier General Andrew Pickens was sent to take the sick and wounded to Fish Dam Ford. He quickly turned around and led his men back to Long Canes to show the people that Major General Greene's army was not retreating.

Lord Rawdon initially considered chasing Major General Greene, but when he learned that the baggage train was within twenty miles he changed his mind. He replaced his sick and wounded with fresh ones from the garrison at Ninety-Six. He ordered his men to leave all gear that was not needed, including the knapsacks and blankets, and he marched back out of Ninety-Six on June 23rd.

After a forty mile march, Col. Francis, Lord Rawdon caught up with Major General Nathanael Greene's rear guard, consisting of Lt. Col. Henry Lee's Legion and Capt. Robert Kirkwood's Delawares, but the British were no longer able to fight. More than fifty of Lord Rawdon's men had died of heat exhaustion - all wearing heavy woolen uniforms in the 100 degree heat. To make things worse, Major General Greene had dismantled all mills along the way so there would be no provisions for the enemy.

Lord Rawdon then returned once again to Ninety-Six and immediately realized that he could not hold the town much longer. He marched out on June 29th with 800 men and 60 horses. He was expecting to meet up with Lt. Col. Alexander Stewart, but Stewart had received incorrect orders and had returned to Dorchester.

Major General Greene then ordered Lt. Col. Lee, Capt. Kirkland, and 100 Militia under Major Alexander Ross (?) to continue to harass Lord Rawdon's retreat. Lt. Col. John Harris Cruger remained at Ninety-Six to protect the local Loyalists who were gathering all their belongings. On July 8th, Lt. Col. Cruger destroyed the fort and escorted all who wanted to go to Charlestown to remain under British protection.

Ninety-Six was now back in Patriot hands. The only remaining British outposts were Dorchester, Moncks Corner, and a small garrison at Nelson's Ferry on the Santee River. These would not last much longer either. The Patriots wanted the British back in Charlestown where they could be easily watched in one location and not spread out all over their lands. *"As we every day got our parallels nearer the garrison, we could see them very plain when they went out to a brook or spring for water. The Americans had constructed a sort of moving battery, but as the cannon of the fort were brought to bear upon it, they were forced to abandon the use of it. It had not been used for some time, when an idea struck old Squire Kennedy (who was an excellent marksman) that he could pick off a man now and then as they went to the spring. He and I took our rifles and went into the woods to practice at 200 yards. We were arrested and taken before an officer, to whom we gave our excuse and design. He laughed, and told us to practice no more, but to try our luck from the battery if we wanted to, so we took our position, and as a fellow came down to the spring Kennedy fired and he fell. Several ran out and gathered around him and among them I noticed a man raise his head and look round as if he wondered where that shot could have come from. I touched my trigger and he fell, and we made off for fear it might be our time to fall next."

The above comes from the memoirs of Major Thomas Young, and provided by Ken Green (a gggg-nephew) in January of 2011.

Known Patriot Participants

Known British/Loyalist Participants

Major General Nathanael Greene - Commanding Officer

VA Continental Brigade led by Brigadier General Isaac Huger with 421 men in two regiments:

VA 1st Regiment led by Lt. Col. Richard Campbell with Capt.-Lt. Samuel Selden

VA 2nd Regiment led by Col. Samuel Hawes with Capt. John Marks

MD Continental Brigade led by Col. Otho H. Williams with 427 men in two regiments:

MD 1st Regiment led by Col. John E. Howard with the following four (4) known companies, led by:
- Capt. Edward Oldham
- Capt. George Anderson
- Capt. John Sprigg Belt
- Capt. Peter Jacquett - 2nd DE Company

MD 2nd Regiment led by Major Henry Hardman with the following two (2) known companies, led by:
- Capt. Samuel Handy
- Capt. Perry Benson

DE Regiment Detachment led by Capt. Robert Kirkwood with 60 men

Lee's Legion (VA) - Lt. Col. Henry Lee with 150 men in the following known units:
- 1st Mounted Troop - Capt. James Armstrong
- 2nd Mounted Troop - Major Joseph Eggleston
- 3rd Mounted Troop - Major Michael Rudolph
- 4th Dismounted Troop - Capt. Allen McClane
- 5th Dismounted Troop - Capt. Henry Archer
- 6th Dismounted Troop - Lt. Edward Manning

1st NC Regiment of Continentals detachment led by Major Pinketham Eaton with 66 men in the following four (4) known companies, led by:
- Capt. Alexander Brevard
- Capt. Thomas Donoho
- Capt. Joshua Hadley
- Capt. William Lytle

Engineers led by Col. Count Thaddeus Kosciuszko

1st Continental Artillery Regiment of VA, 1st Battalion led by Col. Charles Harrison with 100 men, including Capt. Samuel Finley and Capt. Samuel Otterson and four 6-pounders

VA Militia Detachment led by Capt. Jeremiah Pate with 100 men

SC 3rd Brigade of Militia/State Troops led by Brigadier General Andrew Pickens with 400 men in the following units:

Upper Ninety-Six District Regiment of Militia led by Col. Robert Anderson, Lt. Col. William Farr, Lt. Col. James McCall, and Major Andrew Hamilton, Sr., with seventeen (17) known companies, led by:
- Capt. Joseph Bouchillon
- Capt. Robert Bryant
- Capt. Francis Carlisle
- Capt. Samuel Earle
- Capt. Armstrong Herd
- Capt. John Irwin
- Capt. David Maxwell
- Capt. Robert Maxwell
- Capt. John McGaw
- Capt. James Pettigrew
- Capt. Joseph Pickens (killed)
- Capt. Samuel Rosamond
- Capt. William Strain
- Capt. John Wallace
- Capt. Hugh Wardlaw
- Capt. John Wilson
- Capt. Thomas Winn

Little River District Regiment of Militia led by Col. Joseph Hayes, Lt. Col. Levi Casey, and Major James Dillard, with eight (8) known companies, led by:
- Capt. James Cunningham
- Capt. Josiah Greer
- Capt. William Mulwee
- Capt. Lewis Saxon
- Capt. James Starke
- Capt. John Verdin
- Capt. Richard Watts
- Capt. Daniel Williams

New Acquistion District Regiment of Militia detachment led by Lt. Col. William Henderson, with five (5) known companies, led by:
- Capt. John Diamond
- Capt. Obediah Holloway
- Capt. Benjamin Rainey
- Capt. Thomas Starke
- Capt. James Venable

Turkey Creek Regiment of Militia detachment led by Col. Edward Lacey, with five (5) known companies, led by:
- Capt. Pendleton Isbell
- Capt. Henry Lisle
- Capt. Andrew Lord
- Capt. John McKinney
- Capt. John Steel

Lower Ninety-Six District Regiment of Militia detachment of three (3) known companies, led by:
- Capt. James Butler, Sr.
- Capt. William Butler
- Capt. Solomon Pope

Hammond's Regiment of Light Dragoons (Militia) detachment led by Lt. Col. Samuel Hammond, with two (2) known companies, led by:
- Capt. Moses Liddell
- Capt. James McIlhenny

Lower District Regiment of Militia detachment led by Col. David Glynn, with one (1) known company, led by:
- Capt. Robin Pollard

Smith's Independent Company of SC State Troops led by Major William Smith with Capt. Hugh Bratton and unknown number of men

SC 1st Brigade of Militia/State Troops led by "Unknown," with the following units:

Roebuck's Battalion of Spartan Regiment of Militia detachment led by "Unknown," with seven (7) known companies, led by:
- Capt. John Barry
- Capt. Peter Brooks
- Capt. Thomas Farrow
- Capt. Samuel Nisbett
- Capt. Thomas Parsons
- Capt. George Taylor
- Capt. Joseph Wofford

2nd Spartan Regiment of Militia detachment led by Col. Thomas Brandon, Major Benjamin Jolly, and Major Thomas Young, with seven (7) known companies, led by:
- Capt. George Aubrey
- Capt. Andrew Barry
- Capt. Lewis Duvall
- Capt. William Grant
- Capt. John Lindsay
- Capt. Samuel Otterson
- Capt. William Young

SC 1st Regiment of State Dragoons (State Troops) detachment led by Col. Wade Hampton, with three (3) known companies, led by:
- Capt. William Alexander
- Capt. Robert Caruthers
- Capt. Joseph Culpeper

1st Spartan Regiment of Militia detachment led by Major Josiah Culbertson, with two (2) known companies, led by:
- Capt. William Harris
- Capt. John Roebuck

Fairfield Regiment of Militia detachment of two (2) known companies, led by:
- Capt. Amos Davis
- Capt. Edward Martin

Orangeburgh District Regiment of Militia detachment led by Major Peter Oliver with unknown number of men

Hampton's Regiment of Light Dragoons (State Troops) detachment of one (1) known company, led by:
- Capt. Joseph Robins

SC 2nd Brigade of Militia/State Troops led by "Unknown," with the following units:

Berkeley County Regiment of Militia detachment led by Major Benjamin Smith with unknown number of men

NC Militia led by "Unknown," with the following known units:

Rutherford County Regiment of Militia (NC) detachment led by Lt. Col. James Miller and Major Richard Lewis, with three (3) known companies, led by:
- Capt. Adam Hampton
- Capt. John McClain
- Capt. James McDonald

Wilkes County Regiment of Militia (NC) detachment led by Lt. Col. James Miller and Major Richard Lewis with four (4) known companies, led by:
- Capt. Alexander Gordon
- Capt. Charles Gordon
- Capt. James Harrison
- Capt. Abram Moore

Lincoln County Regiment of Militia (NC) detachment of one (1) known company, led by:
- Capt. John Culbertson

Burke County Regiment of Militia (NC) detachment of three (3) known companies, led by:
- Capt Joshua Inman
- Capt. David Vance
- Capt. Welch

Rowan County Regiment of Militia (NC) detachment of two (2) known companies, led by:
- Capt. Daniel Bryson
- Capt. Francis Cunningham

Guilford County Regiment of Militia (NC) detachment of one (1) known company, led by:
- Capt. Robert Bell

Granville County Regiment of Militia (NC) detachment of one (1) known company, led by:
- Capt. William Bennett

Caswell County Regiment of Militia (NC) detachment of one (1) known company, led by:
- Capt. Russell

Nash County Regiment of Militia (NC) detachment of one (1) known company, led by:
- Capt. William Williams Total Patriot Forces - 1,624

Lt. Col. John Harris Cruger - Commanding Officer

DeLancey's Brigade, 1st Battalion led by Major Joseph Green with 115 men in the following known units:
- Lt. Col. Cruger's Company - Major Joseph Green
- Capt. James Galbreath's Company - Capt. James French with Lt. John Roney
- Capt. Thomas French
- Capt. George Kerr
- Capt. Alexander McDonald
- Capt. Barent Roorback
- Capt. Jacob Smith

NJ Volunteers, 3rd Battalion led by Lt. Col. Isaac Allen with Major Robert Drummand and 200 men in the following known units:
- Lt. Col. Allen's Company - Lt. Edward Stelle
- Capt. John Barbarie
- Capt. Peter Campbell
- Capt. Charles Harrison
- Capt. Thomas Hunloke
- Lt. John Hatton
- Capt. Joseph Lee's Company - Ensign Cornelius Thompson
- Capt. Daniel Cozens's Company - Capt. Thatcher Bartholomew

Artillery - Three 3-pounders

Ninety-Six Brigade of Loyalist Militia led by Brigadier General Robert Cunningham with 200 men in the following known units:

Long Cane Loyalist Militia led by Col. Richard King with 123 men and the following known officers:
- Capt. George Long
- Capt. George Bond
- Capt. John Sloane
- Capt. Andrew Sloane
- Capt. Jesse Campbell
- Capt. John Crawford
- Capt. David Larimer
- Capt. Andrew Reynolds
- Capt. Isaac Stewart
- Capt. George Neal

Spartan District Loyalist Militia led by Major Zacharias Gibbs with 120 men

Stevens Creek Loyalist Militia led by Col. John Cotton with 241 men

Little River District Loyalist Militia led by Major Patrick Cunningham with 224 men

Dutch Fork District Loyalist Militia led by Col. Daniel Clary with 60 men

Fair Forest District Loyalist Militia led by Capt. Shadrack Lantry with 88 men

Relief Column from Charlestown and Moncks Corner:

64th Regiment of Foot led by Major William Brereton with 250 men

7th Regiment of Foot (Royal Fusiliers) led by "Unknown"

Light Infantry & Grenadiers led by Major John Marjoribanks with 281 men in the following units:

3rd Regiment of Foot (The Buffs) - "Unknown"

19th Regiment of Foot - "Unknown"

30th Regiment of Foot - "Unknown"

84th Regiment of Foot (Royal Highland Emigrants), 2nd Battalion (Young Royal Highlanders) detacment led by "Unknown"

Royal Regiment of Artillery - 5 pieces

Unknown Hessian Regiment with 250 men

Provincials led by Lt. Col. John Watson Tadwell-Watson and the following known units:

Loyal American Regiment, Light Infantry Company led by Capt. Morris Robinson

King's American Regiment, Light Infantry Company led by Capt. Thomas Cornwell

DeLancey's Brigade, 3rd Battalion, Light Infantry Company led by Capt. Gilbert Willett

NJ Volunteers, 1st Battalion, Light Infantry Company led by Capt. James Shaw

NJ Volunteers, 2nd Battalion, Light Infantry Company led by Capt. Norman McLeod

NJ Volunteers, 4th Battalion, Light Infantry Company led by Capt. Jacob Buskirk

Garrison withdrawn from Camden after Hobkirk's Hill, additional reinforcements:

63rd Regiment of Foot detachment led by Capt. Hayes St. Ledger

NY Volunteers led by Major Henry Sheridan with 40 men

SC Royalists led by Major Thomas Fraser with 150 men

Camden District Loyalist Militia, Jackson Creek Militia led by Col. John Phillips with 400 men in the following known units:
- Capt. Benjamin Perkins - 8 men
- Capt. James Miller - 20 men
- Capt. Adam Thomson - 33 men
- Capt. George Platt - 20 men
- Capt. David Saunders - 22 men
- Capt. Hugh Smith - 34 men Total British/Loyalist Forces - 4,400


Why Did the British Burn Ninety Six?

The quiet field before you was the site of the once-thriving 1700s town of Ninety Six. In 1781 it had about a dozen homes, a courthouse, and a jail. When Lieutenant Colonel Cruger arrived in 1780, he fortified it against attack. One visitor observed, "Its houses, which were intierly [sic] wood, were comprised within a stockade. The commandant immediately set the garrison, both officers and men, to work to throw up a bank, parapet high, around the stockade, and to strengthen it with abatis."

During the siege of 1781, many Loyalist families from the backcountry, fleeing from Greene's advancing Patriot army, took refuge in the fortified town. Packed into the stockaded village, already filled with Cruger's troops and sick or wounded soldiers carried out from the Star Fort, these refugees lived in constant fear of Patriot gunfire and dwindling food and water supplies.

After the Patriot's defeat, Cruger was ordered to evacuate the town. The British command decided that Ninety Six was too far from Charleston and too deep in hostile territory to be of further value to their cause. So in July 1781, Cruger's men, with Loyalist families in tow, abandoned the village and burned it to the ground, denying Patriots further use of the site.

Erected 2009 by National Park Service.

Tópicos This historical marker is listed in these topic lists: Colonial Era &bull Forts and Castles &bull Landmarks &bull Notable Events &bull Notable Places &bull Settlements & Settlers &bull War, US Revolutionary. A significant historical month for this entry is July 1781.

Localização. 34° 8.672′ N, 82° 1.196′ W. Marker is in Ninety Six, South Carolina, in Greenwood County. Marker can be reached from South Cambridge Street (State Highway 248). Marker is located on the battlefield walking tour, on the grounds of Ninety Six Historic Site. Toque para ver o mapa. Marker is in this post office area: Ninety Six SC 29666, United States of America. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. At least 10 other markers are within walking distance of this marker. Gouedy Trail and Charleston Road (within shouting distance of this marker) Woman and Child (within shouting distance of this marker) Law and Order in the Carolina Backcountry (within shouting distance of this marker) Ninety Six (within shouting distance of this marker) The American Revolution Comes to the South (about 300 feet away, measured in a direct line) Spring Branch (about 400 feet away) Covered Way (about 500 feet away) The Attack (about 700 feet away) The Forlorn Hope (about 700 feet away) The Star Fort (about 700 feet away). Touch for a list and map of all markers in Ninety Six.

. Here settlers struggled against the harsh backcountry to survive, Cherokee Indians hunted and fought to keep their land, two towns and a trading post were formed and abandoned to the elements, and two Revolutionary War battles that claimed over 100 lives took place here. (Submitted on July 23, 2010, by Brian Scott of Anderson, South Carolina.)

2. Ninety Six, South Carolina. Ninety Six is a town in Greenwood County, South Carolina, United States. (Submitted on July 23, 2010, by Brian Scott of Anderson, South Carolina.)

3. Nathanael Greene. Nathanael Greene (August 7, 1742 – June 19, 1786) was a major general of the Continental Army in the American Revolutionary War. (Submitted on July 23, 2010, by Brian Scott of Anderson, South Carolina.)


Patriot siege of Ninety Six, South Carolina begins - HISTORY

The Siege of Augusta was a significant battle
of the American Revolution.

Fought for control of Fort Cornwallis, a British
fort in the Georgia city, the battle was a major
victory for the Patriot forces of Lighthorse
Harry Lee and a stunning reverse to the
British and Loyalist forces in the South.

Augusta had been taken by Southern
Loyalists under Lt. Col. Thomas Brown in
1780. When threatened by Patriot forces early
in 1781, he had built a bastioned fort of earth
and logs on the site of the earlier Fort
Augusta . Named after Lord Cornwallis, the
British commander in the South, the fort was
supported by two smaller outposts: Fort
Grierson about one-half mile away and the
stockaded home of Loyalist trader George
Galphin about 12 miles away.

The Siege of Augusta began in a small way
on April 16, 1781. The famed Georgia leader
Elijah Clarke had contracted smallpox and
was sick in camp, so Lt. Col. Micajah
Williamson assumed command of his force
of militiamen. In company with the forces of
Colonels John Baker and LeRoy Hammond,
he arrived outside Augusta on April 16.

Williamson and the militiamen fortified a
position on the outskirts of Augusta and
hovered around the city, taking occasional
shots at the Loyalists holding Fort Cornwallis
and Fort Grierson.

The arrival of the Patriot militia from the back-
country created alarm in Augusta, where their
forces were greatly over-estimated. Col.
Brown sent out a call for help and Loyalist
militia companies from elsewhere began a
march to his relief.

To prevent support from reaching Augusta
from the British post of Ninety Six in South
Carolina, General Andrew Pickens placed
himself between the two points with 400 men.

Colonel Clarke recovered sufficiently from his
smallpox by May that he arrived in Augusta
with 100 additional men and assumed
personal command of the Patriots there. o
siege now began in earnest.

At the same time, General Nathaniel Greene
of the Continental forces was moving to lay
siege on Ninety Six . Hoping to eliminate
Augusta in the meantime, he ordered the
famed Patriot horseman "Lighthorse" Harry
Lee (father of Robert E. Lee) to join forces
with Clarke. Lee drove his men at a rapid
pace, marching 75 miles in just three days.

The combined forces attacked the fortified
home of George Galphin 12 miles from
Augusta on May 21, 1781. After a fight in
intense heat, the British surrendered.

Pushing on into Augusta, the Patriots moved
on Fort Grierson next. As they formed to
encircle the small fort, its garrison panicked
and tried to escape to the safety of the larger
Fort Cornwallis. Eighty Loyalists under Col.
Grierson were captured, refused quarter and
slaughtered. Brown's forces had done the
same to Patriot forces in the past and now
they exacted their revenge.

The slaughter of Grierson's force completed,
Clarke and Lee, now joined by Pickens,
began their attack on Fort Cornwallis.

The Patriots had only one cannon and even
though they far outnumbered the Loyalist
forces holding Fort Cornwallis (300 militia
and 200 African Americans who joined
them), the fort was too strong for them to
carry by direct assault.

Lee suggested that the fort could be taken by
employing a tower similar to the one built by
Patriots during the Battle of Fort Watson in
Carolina do Sul. From the top of the structure,
they would be able to fire down into the fort.

The 30-foot tower was assembled behind a
nearby home. Several times the Loyalists
tried to attack the project, but each time they
were driven back. The tower was finished to
a point from which the Patriot cannon could
fire down into the fort on June 1, 1781.

That night Brown led most of his men out of
Fort Cornwallis in a desperate attempt to
stop the project or break out. Eles eram
driven back into the fort in a fierce night battle.

The Patriot's now began to systematically
destroy the interior of Fort Cornwallis from
above. Its cannon were dismounted and the
barracks and other structures knocked to
pieces. This continued for two more days.

Finally, on the morning of June 4, 1781, the
Patriot forces formed for an attempt to storm
Fort Cornwallis. A surrender demand was
sent in and Brown responded by asking for
an extra day as it was the birthday of King
George III. Pickens, Clarke and Lee agreed
and Brown surrendered the next day. Fearful
of that he would meet Grierson's fate, he
gave up to a detachment of Continental
regulars.

The capture of Fort Cornwallis placed
Augusta firmly in American control and there
it remained. The fort stood on the grounds of
St. Paul's Church at 605 Reynolds Street and
a marker there commemorates the battle.
The churchyard is open daily.


Assista o vídeo: COMO É MORAR NA CAROLINA DO NORTE? Leticia Zalewski (Pode 2022).