Podcasts de história

Carro blindado Sd Kfz 222, Tripoli, 1941

Carro blindado Sd Kfz 222, Tripoli, 1941


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Carro blindado Sd Kfz 222, Tripoli, 1941

Esta imagem mostra um par de carros blindados Sd Kfz 222 em algum lugar perto de Trípoli no início de 1941, logo após o Afrika Korps desembarcou no Norte da África (Operação Sonnenblume). Esses veículos provavelmente pertencem ao Batalhão de Reconhecimento III, que chegou a Trípoli de 14 a 15 de fevereiro de 1941.


Fotos da Guerra Mundial

SdKfz 261 Inverno 2 SdKfz 221 carros SdKfz 222 com sPzB 41 (Panzerbüchse 41) SdKfz destruído 222 de setembro de 1939
SdKfz 222 Frente Leste 1942 SdKfz 221 da 17 Divisão Panzer. Nordlingen 10 de junho de 1941 SdKfz 223 13 Leichter Panzerspähwagen SdKfz 223 1938
SdKfz 222 de Afrika Korps SdKfz 261 SdKfz 261 funkwagen WH-638530 do Afrika Korps SdKfz 261 perto de Moscou, inverno de 1941
SdKfz 223 vista superior SdKfz 222 Norte da África 1943 SdKfz 222 WH-1312233 vista traseira SdKfz 222 4
SdKfz 222 Polônia, setembro de 1939 Capturado Kleiner Panzerfunkwagen SdKfz 261 Itália 1943 SdKfz 222 6 SdKfz 221 movendo-se para Abbeville, França, 1940
SdKfz 221 Itália SdKfz 223 Deutsches Afrikakorps, DAK SdKfz 223 em Trípoli 23 de março de 1941 SdKfz 222 1940
SdKfz 223 da 8 Divisão Panzer, Lituânia, junho de 1941 SdKfz 222 WH100798, 1940 SdKfz 261 do Nachrichten Fern Aufklarung Kompanie 621 DAK SdKfz 223 alemão entrando em Luxemburgo em 1940
SdKfz 223 14 SdKfz 221 da Waffen SS, Frente Oriental 1941 SdKfz 223 e T-34 em Zolkva, junho de 1941 SdKfz 222 do Aufkl Abt 3 a caminho de Tripoli, fevereiro de 1941
SdKfz 221 1938 SdKfz 222 WH32332 1939 SdKfz 223 3 camuflado SdKfz 221 DAK 1943
Coluna de SdKfz 221 Carro de rádio blindado SdKfz 223 Leichter panzerspahwagen SdKfz 221 SdKfz 221 Polônia 1939
SdKfz 221 leichter Panzerspahwagen em uma estrada polonesa tipicamente primitiva SdKfz 260 Carro blindado SdKfz 222 SdKfz 260 na Polônia 24 Divisão Panzer
SdKfz 221 leichter panzerspahwagen /> SdKfz 221 leichter panzerspahwagen 4 & # 2154 Sd Kfz. 260 e 221 na Polônia 24 Divisão Panzer SdKfz 223 leichter panzerspahwagen funk
destruiu SdKfz 222 SdKfz 222 número 241 Destruiu SdKfz 221 Polônia 1939 Carro blindado SdKfz 221
Carro de rádio SdKfz 260 Sd Kfz 222 Sd.Kfz. 250/9 Rhodos Grécia carros blindados alemães SdKfz 222 17.Panzer division Frente oriental
SdKfz 222 leichter panzerspahwagen SdKfz 223 1939 SdKfz 221 waffen ss SdKfz 221 carro blindado alemão
SdKfz 221 carro blindado leve carro blindado leve sdkfz 221 sdkfz 223 1942 inverno sdkfz 222
Sd.Kfz. 223 Panzerfunkwagen 6 carro blindado alemão sdkfz 222 carro blindado alemão sdkfz 223 Sd.Kfz. Carro de rádio blindado leve 223
SdKfz 221 Leichter Panzerspähwagen sdkfz 223 no inverno carro blindado sdkfz 222 sdkfz 221 leopardo
SdKfz 223 carro de rádio blindado leve 2 Carro blindado SdKfz 222, Rússia SdKfz 223 Panzerfunkwagen carro de rádio blindado alemão sdkfz 223
sdkfz 223 5 Soldados sdkfz 221 e wehrmacht Leichter Panzerspahwagen Funk SdKfz 223 e tripulação SdKfz 260 Rússia
SdKfz 223 Panzerfunkwagen 4 sdkfz 223 Panzerfunkwagen SdKfz 222 Leichter Panzerspähwagen 8 SdKfz 223 Panzerfunkwagen 9
sdkfz 223 12 sdkfz 222 Leichter Panzerspähwagen sdkfz 223 8 tripulação sdkfz 223
sdkfz 221 6 sdkfz 222 destruído afv transporte ferroviário sdkfz 222

SdKfz 223 (Leichter Panzerspahwagen)

Autoria por: Redator | Última edição: 01/06/2016 | Conteúdo e cópiawww.MilitaryFactory.com | O texto a seguir é exclusivo deste site.

O SdKfz 223 fazia parte de uma família maior de carros blindados leves alemães que começou com o SdKfz 221 (detalhado em outra parte deste site). Cada veículo desempenha um papel específico no campo de batalha do Exército Alemão e foi adotado às centenas. O SdKfz 223 serviu como um veículo de Comando e Comunicações (CC2), diferenciado dos outros modelos primários (SdKfz 221, SdKfz 222) pela grande estrutura de antena aérea dobrável afixada acima da posição de canhão do veículo. Tal como aconteceu com os veículos das séries 221 e 222 anteriores, a linha SdKfz 223 se beneficiou de seu chassi de carro blindado dedicado, que forneceu a força necessária para o serviço militar. Além disso, o mesmo motor Horch V8 a gasolina deu ao sistema as capacidades de viagem cross-country exigidas da guerra mecanizada moderna. A produção de veículos SdKfz 223 totalizou 567 veículos e estes foram produzidos de 1936 a janeiro de 1944. Ao contrário do SdKfz 221 original, o SdKfz 223 apresentava uma tripulação de três (em vez de dois) composta pelo motorista, comandante e metralhador dedicado .

O design do SdKfz 223 estava intimamente associado ao do SdKfz 221 original e não tanto à série SdKfz 222. Ele poderia ser diferenciado por sua estrutura de antena, bem como uma seção superior do casco escalonado - características não encontradas na variante SdKfz 221. Uma escotilha cônica também cobriu o compartimento do motor, ao contrário da escotilha retangular encontrada na linha 221.

Em sua essência, a série SdKfz 223 era um veículo blindado de rodas 4x4 com proteção blindada leve destinado ao reconhecimento e às comunicações. Ele estava armado simplesmente com uma metralhadora padrão do Exército MG34 de 7,92 mm para defesa local, embora a produção inicial tenha visto as armas da série MG13 equipadas antes de 1938. 1.050 x 7,92 mm de munição foram carregados a bordo. Equipamentos especializados de comunicação e rádio foram instalados a bordo do veículo. As primeiras formas apresentavam um rádio Fu 10 de 30 watts, enquanto os modelos posteriores o substituíram por um aparelho Fu 12 de 80 watts. Um pneu sobressalente foi transportado ao longo do lado direito do casco para substituição em caso de danos. O lado esquerdo do casco externo continha uma caixa de estiva externa. De 1942 em diante, a linha SdKfz 223 recebeu um motor mais potente para melhor desempenho, bem como um chassi mais robusto (produzindo a variante Ausf. B). Sua blindagem foi aprimorada ao longo das faces frontais para 30 mm de espessura.

As dimensões incluíram um comprimento de 4,56 metros com uma largura de 1,95 metros e uma altura de 2 metros. Seu peso listado era de 4,4 toneladas. As velocidades máximas nas estradas alcançaram 46 milhas por hora com um alcance de 185 milhas, menos em viagens cross-country.


Sd.Kfz. 232 carro blindado

O schwerer Panzerspähwagen (Fu) Sd.Kfz. 232 (8-rad) (Sonderkraftfahrzeug 232) foi produzido de 1938 a 1943 e carregava um rádio de médio alcance Fu.Ger.11 SE 100 e um rádio Fu.Spr.Ger.A de curto alcance. Estava armado com um canhão automático KwK 30 L / 55 de 2 cm e uma metralhadora MG 34 coaxial de 7,92 mm. Tinha tração nas 8 rodas e direção nas 8 rodas com posição de motorista em ambas as extremidades. A armadura frontal era de 15 mm de aço homogêneo levemente inclinado com 8 mm nas laterais, 10 mm nas costas, 6 mm na parte superior e 5 mm na parte inferior. Sua armadura fornecia proteção apenas contra fogo de armas pequenas e fragmentos de HE, ao passo que era ineficaz contra armas mais pesadas. Seu alcance operacional foi de 300 km (186 milhas) e a velocidade máxima foi de 85 km / h (53 mph). O Sd.Kfz. 231 (8-rad) era o mesmo que o Sd.Kfz. 232 mas sem os rádios adicionais e a grande antena e foram construídos de 1937 a 1941. O Exército Alemão usou esses carros blindados para missões de cavalaria tradicionais para reconhecimento durante a guerra em muitas campanhas e teatros.

Este kit Tamyia 1/48 tem duas opções de marcação interessantes.

PRIMEIRA OPÇÃO DE MARCAÇÃO

& # 8220Seydlitz & # 8221 WH-230748, 2ª kompanie, Aufklärungs-Abteilung 8, 5ª Divisão Panzer, Grécia, abril de 1941

Este carro blindado foi nomeado após a cavalaria prussiana Generalleutnant Friedrich Wilhelm Freiherr von Seydlitz (3 de fevereiro de 1721 a 8 de novembro de 1773).

A 5ª Divisão Panzer foi enviada para a Romênia e a Bulgária no início de 1941 e participou da invasão da Iugoslávia. Após a campanha da Iugoslávia, foi transferido do Primeiro Grupo Panzer para o XL Panzer Corps, que era composto pelo 1º Regimento de Infantaria Motorizada SS LAH, 73ª Divisão de Infantaria e a 9ª Divisão Panzer. Em 15 de abril de 1941, a 5ª Divisão Panzer começou ao norte de Aliakmon e dirigiu para o sul através de Kalabaka em direção à cidade de Lamia. Eles encontraram bloqueios de estradas, demolições e uma série de pequenos combates com os guardas traseiros da Commonwealth. Em 20 de abril, Lamia foi capturada contra uma pequena resistência e os aliados retiraram-se ao sul de Lamia para a linha das Termópilas. A situação do abastecimento alemão foi melhorada pela captura de rações e estoques de combustível na área de Lamia. Em 22 de abril, uma coluna da 5ª Divisão Panzer atacou as posições das Termópilas que eram defendidas pela infantaria da retaguarda apoiada por artilharia bem camuflada e tanques individuais. Após uma forte resistência, as tropas da comunidade abandonaram o Passo das Termópilas durante a noite de 24 para 25 de abril. Em 30 de abril, as últimas tropas da comunidade haviam escapado ou sido feitas prisioneiras e as hostilidades na Grécia haviam terminado.

Esses filmes mostram Seydlitz passando por Lamia.

Este Sd.Kfz. 231 é da mesma unidade. Não é possível distinguir o nome do lado do casco.

Unidades da Comunidade na Grécia 1941

& # 8216W & # 8217 Força comandada pelo Ten Gen Sir Henry Maitland Wilson
& # 8211 6ª Divisão Australiana
& # 8211 2ª Divisão da Nova Zelândia
& # 8211 1ª Brigada Blindada Britânica
(102 RHA, 2 RHA, 3 RTR e 4 Hussardos da 2ª Divisão Blindada)
& # 8211 Número de unidades de suporte.

Este Sd.Kfz. 232 é da 5ª ou 9ª Divisão Panzer. O caminhão em primeiro plano é um trator de artilharia canadense Ford F60 L. 4 & # 2154 com as marcas da 2ª Divisão Blindada Britânica (1ª Brigada Blindada).

SEGUNDA OPÇÃO DE MARCAÇÃO

WH-612119, 1ª kompanie, Aufklärungs-Abteilung 19, 19ª Divisão Panzer, Belgorod-Khar & # 8217kov, julho-agosto de 1943

Durante Unternehmen Zitadelle (Operação Cidadela), a 19ª Divisão Panzer pertencia ao III Corpo Panzer junto com a 168ª Infanterie, 6ª e 7ª Divisões Panzer. O III Corpo de exército Panzer foi posicionado na margem oeste do Rio Donets do Norte ao sul de Belgorod com a 6ª Divisão Panzer logo ao sul de Belgorod e então a 19ª e 7ª Divisões Panzer. Do outro lado do rio, em oposição ao 19º DP, estava a 78ª Divisão de Fuzileiros de Guardas soviética. Em 5 de julho de 1943 (primeiro dia da Cidadela), a 19ª Divisão Panzer atingiu as 78ª posições entre Dalni Peski e DorogoBuzhino. Nos três dias seguintes, a 19ª Divisão Panzer enfrentou combates intensos e sofreu pesadas perdas, onde só foi capaz de penetrar o mais longe cerca de 9 km (5,5 milhas) na linha defensiva soviética. O avanço alemão geral desacelerou e, por fim, criou condições que impediram a ligação oportuna do III Corpo Panzer com o II Corpo Panzer SS na área de Prokhorovka e causou o fracasso da Operação Cidadela. Em 3 de agosto, o soviete lançou sua operação estratégica contra-ofensiva de verão Polkovodets Rumyantsev (os alemães a chamaram de & # 8220A Quarta Batalha de Kharkov & # 8221 ou Ofensiva de Belgorod-Kharkov) e no final de agosto Belgorod e Kharkov (agora Kharkov) foram recapturados e o 4o Exército Panzer alemão (que inclui o III Corpo de exército Panzer) foi destruído. O 36º Regimento de Tanques de Descoberta Pesada de Guardas, 18º Corpo de Tanques, 5º Exército de Tanques de Guardas foi formado em março de 1943 com cerca de 31 a 35 tanques Lend-lease Churchill IV e estava no segundo escalão na Batalha de Prokhorovka, que foi designado para o apoio da infantaria. Este é provavelmente um 36º Guards Churchill passando pelo Sd.Kfz. 232. O carro provavelmente foi desativado por bombardeios de aviões soviéticos de ataque ao solo e abandonado.

Este é o meu close up do Sd.Kfz. 232 torreta. Não sei para que serve a barra horizontal montada nos suportes da antena.

Este é o meu close up do zusatzfrontplatte (& # 8220Painel frontal adicional & # 8221). Algumas fontes legendaram este Sd.Kfz. 232 como pertencendo à 7ª Divisão Panzer ou à 2ª Divisão SS Panzer. Observe que parte do padrão de camuflagem no zusatzfrontplatte se parece com um grande número & # 82207 & # 8221. As barras verticais gêmeas são a marcação Kursk especial usada pela 19ª Divisão Panzer durante e imediatamente após a Operação Citadel.

Aqui está uma lista das marcações especiais da unidade Kursk alemã

Outro Churchill passando pelo mesmo Sd.Kfz. 232 e a foto foi tirada de um ângulo ligeiramente diferente.

1ª SS Leibstandarte AH 1939-1941


O Leibstandarte Panzerspähzug teve quatro Sd.Kfz. 221s, dois Sd.Kfz. 231s e dois Sd.Kfz. 232s no início da guerra. No primeiro dia de combate (1 de setembro de 1939), um de cada um dos 231s e 232s foi nocauteado em Pabjanice, na Polônia.

Sd.Kfz. 221: SS-1084, SS-1085, SS-1086, SS-1087
Sd.Kfz. 231: SS-1088 & # 8220Körner II & # 8221
(substituto para & # 8220Körner & # 8221 perdido no primeiro dia de combate na Polônia)
Sd.Kfz. 231: SS-1089 e # 8220Laforce
(veículo original de 1937)
Sd.Kfz. 232: SS-1090 e # 8220Faust II e # 8221
(a substituição de & # 8220Faust & # 8221 também perdeu no primeiro dia de combate na Polônia)
Sd.Kfz. 232: SS-1091 & # 8220Casella & # 8221
(veículo original de 1937)

& # 8220Faust & # 8221 foi totalmente queimado depois de receber um tiro no tanque de gasolina depois que ricocheteou na estrada e atingiu a barriga. O veículo foi substituído ou totalmente reformado e foi renomeado para & # 8220Faust II & # 8221 que, por sua vez, foi posteriormente desativado na Rússia em 1941.

Os carros blindados 8-rad foram nomeados em homenagem aos 16 homens que morreram em Hitler & # 8217s falharam no golpe de Beer Hall, de 8 a 9 de novembro de 1923.

ALFARTH, BAURIEDL, CASELLA, EHRLICH, FAUST, HECHENBERGER, KÖRNER, KUHN, LAFORCE, NEUBAUER, PAPE, PFORDTEN, RICKMERS, SCHEUBNER-RICHTER, STRANSKY, WOLF

Aqui está & # 8220Laforce & # 8221 visto no desfile por Praga, Tchecoslováquia em 5 de outubro de 1939. O centro do Balkenkreuz (cruzes) foi pintado deixando um contorno branco que foi feito durante a campanha polonesa.

Isto é & # 8220Laforce & # 8221 na França 1940 prestes a rebocar uma tora.

Este é o meu close da placa de carro mais próxima, que mal mostra o número 1089.

Esta é a frente do & # 8220Laforce & # 8221. Os objetos triangulares nos para-lamas dianteiros eram Kraftstoff Explosionssicher de 15 litros (recipientes de combustível à prova de explosão).

SS-1089 & # 8220Laforce & # 8221 e SS-1091 na Grécia, abril de 1941.

SS-1091 em uma coluna na Polônia.
Observe que a cruz branca no arco foi pintada sobre as ferramentas.

Vista traseira do SS-1091 na Polônia.
Observe que o & # 8220SS & # 8221 nas placas do carro foram pintados.

Vista frontal do SS-1091 nos Balcãs em 1941 (provavelmente na Grécia) de um filme.

Sd.Kfz. 231, Norte da África

Março & # 8211 abril de 1941
Observe o capacete britânico na zusatzfrontplatte e a flâmula na antena.

Este campo modificou Sd.Kfz. 231 teve a torre removida e um canhão Pak 38 AT de 5 cm foi montado.

Sd.Kfz. 231 e Sd.Kfz. 232 de uma unidade desconhecida na França 1940.

Acho que eles têm um suporte para granadas de fumaça montado na proa frontal. Observe a ferradura montada ao lado da porta de visão do motorista e o feixe de madeira preso na prateleira do Kraftstoff Explosionssicher no pára-lama dianteiro.

Onde deixei meu carro blindado ontem à noite?

ACESSÓRIOS APÓS O MERCADO DISPONÍVEIS

48022 é o obturador traseiro do motor sem conjunto de conversão de montagem de estepe e 48D14 é o conjunto de decalques que contém marcações para SS-1089 & # 8220Laforce & # 8221 e SS-1091. Eles rotularam incorretamente & # 8220Laforce & # 8221 como pertencendo ao & # 8220Das Reich & # 8221 SS-Div.


Sd.Kfz. 222 era um carro blindado leve com tração nas quatro rodas. Tornou-se o carro blindado leve padrão no serviço do exército alemão até a derrota da Alemanha nazista. Usado pelos batalhões de reconhecimento (Aufklärungs-Abteilung) das divisões Panzer, o tipo teve um bom desempenho em países com boas redes rodoviárias, como os da Europa Ocidental. No entanto, na Frente Oriental e no Norte da África, esta classe de veículo foi prejudicada por seu desempenho off-road relativamente ruim.

Sd.Kfz. 222 estava armado com um canhão automático KwK 30 L / 55 de 2 cm e uma metralhadora MG 13 de 7,92 mm. Em relação à versão anterior, o Sd.Kfz. 221, a tripulação foi aumentada para três com a adição de um artilheiro, dispensando o comandante dessa tarefa. Em 1938, o MG 13 foi substituído por um Maschinengewehr 34, em 1942 o KwK 30 foi substituído pelo KwK 38 de disparo mais rápido do mesmo calibre. A produção foi de 1937 até o final de 1943, com pelo menos 990 veículos sendo produzidos para o exército. Seu nome completo era Leichter Panzerspähwagen (2 cm).

& # 39Katrin & # 39 é o Sd.Kfz mais famoso. 222 réplicas na Europa. & # 39Katrin & # 39 foi construído em medidas exatas como o original. A estrutura usada era uma velha van com a qual ele construiu a estrutura. É uma construção de metal muito sólida. O veículo é elevado sobre bogie e eixos Savien / Avia 15/30. Possui motor a óleo Savien / Avia 15/30, conteúdo 3.359 ccm. A propulsão é no eixo traseiro. O veículo está equipado com válvula de corte do diferencial. A nomeação eléctrica funciona com tensão de 12 V, intercomunicador totalmente funcional para todos os veículos da empresa funciona com 24 V.

As instalações do veículo são originais, totalmente funcionais para a frente e para trás, Notek, klaxon - Bosch, macaco, depósitos de combustível e suportes para água, estação de rádio original FU 5 e outras instalações internas, como pertences pessoais de membros do veículo & # 39s empresa, local funcional nas laterais do veículo, lençol ao abrigo da chuva. Possui implemento de trabalho e outras dependências externas (veja a foto). A torre militante é totalmente giratória e alpendrada por uma gaiola superior funcional. A rotação é fornecida pelo trabalho manual. A carruagem do canhão e as camas da metralhadora são totalmente funcionais na elevação de -6 a +80 graus.

Sua construção durou 3 anos, de 2000 a 2003. & # 39Katrin & # 39 tornou-se uma réplica de altíssima precisão e detalhamento. Ela apareceu pela primeira vez em um evento em 2003. Ela participou de muitos filmes de Hollywood e shows de reconstituição durante seus 13 anos de & quotduty & quot. Para estes efeitos foi reduzir integralmente a sua construção e nomeação. O exterior do veículo completo corresponde ao padrão. O interior do veículo estava sujeito à sua construção e nomeação interior e máxima funcionalidade em combate. & # 39Katrin & # 39 recebeu dois tipos diferentes de tinta de camuflagem, e amarelo escuro Feldgrau / Bronwen, ao longo de sua vida operacional.

Apesar de seus 13 anos de árdua batalha, & # 39Katrin & # 39 tem a pátina / óptica perfeita para se parecer com a coisa real! Uma réplica do cano original da arma Flak de 20 mm está a bordo, bem como uma réplica de disparo a gás da metralhadora MG34. Os atuais proprietários, por causa de um novo projeto de panzer, estão procurando um novo proprietário entusiasta para & # 39Katrin & # 39.


Equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por James A Pratt III & raquo 19 de junho de 2008, 22:09

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por JonS & raquo 19 de junho de 2008, 23:55

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por David W & raquo 20 de junho de 2008, 00h27

Por que não tornar pública sua resposta? Tenho certeza que outros estariam interessados.

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por JonS & raquo 20 de junho de 2008, 00h45

Tenho certeza que sim. Não estou sendo tímido apenas para rir, como você bem sabe por experiência nas respostas às suas próprias perguntas, e a edição do meu post acima ilustra.

Meu plano é enviar a James vários PDFs (se / quando ele entrar em contato comigo), e não estou inclinado a lutar contra isso por meio do fórum.

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por The_Enigma & raquo 20 de junho de 2008, 02:05

Eu não acho que foi uma coisa geral, ou seja, todos os regimentos sendo rearmados ao mesmo tempo com o mesmo número de carros etc.

Eu sei que os 11º Hussardos entregaram os carros que usavam durante o Compass antes da Operação Brevity e, por sua vez, foram equipados com o Marmon-Herrington Mk II. Tenho a sensação de que li que foi depois do retiro para o Egito que eles foram reequipados e não de antemão, ou seja, março-abril de 1941 (se não me falha a memória).

Minha fonte para isso, e onde você provavelmente encontrará mais informações específicas e datas para este regimento, pelo menos: O Décimo Primeiro em Guerra: Sendo a História dos XI Hussardos (o Próprio do Príncipe Albert) através dos anos 1934-1945 por Dudley Clarke. Provavelmente pode encontrá-lo em sua biblioteca centeral mais próxima, bem, você pode pelo menos em Liverpool

Não consigo lembrar por nada os carros que eles tinham durante o Compass, mas me lembro de ter lido que eles usaram alguns Guy Armored Cars antes de obter os sul-africanos acima.

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por Michael Emrys & raquo 20 de junho de 2008, 05:31

Ok, todos os itens a seguir vêm de Desert Tracks por William E. Platz. Ele geralmente é bastante confiável, embora haja lacunas em suas informações.

Para a Operação Bússola 11º. Os hussardos tinham "Cerca de 40 Rolls-Royce e 20 carros blindados Morris".

Para a primeira ofensiva de Rommel, primeiro de março de 1941. Os Guardas Dragão do Rei tinham "Aproximadamente 50 Marmon Herrington Mk. IIs.

Para a Operação Cruzado, as coisas ficam um pouco mais complicadas.
6º. O regimento de carros blindados SA tinha 2 Sqdns. de Marmon Herringtons.
7º. SA Recon. Bn. teve 2 Sqdns. de Marmon Herringtons.

King's Dragoon Guards, C Squadron tinha 30 Marmon Herrington Mk. IIs.

11º. Os hussardos tinham "aproximadamente 50 Humber Mk. II e II A / C".
Os esquadrões King's Dragoon Guards A e B tinham "aproximadamente 50 Marmon Herringtons".
4º. SA tinha "aproximadamente 50 Marmon Herringtons".
3º. SA Recon. Bn. tinha Marmon Herringtons (número não mencionado).
6º. SA Armd. Car Regt. A Sqdn. tinha Marmon Herringtons (número não mencionado).

Eu irei para as batalhas posteriores em um segundo post.

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por David W & raquo 20 de junho de 2008, 08:36

Sei pela qualidade de suas respostas no passado que seus motivos seriam válidos, e não apenas tímidos. Eu realmente me beneficiei de sua sabedoria.
Como Micheal tentou acima, talvez eles pudessem ser divididos em pedaços "do tamanho de uma mordida" por data ou regimento?

Todos os melhores votos, David.

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por Michael Emrys & raquo 20 de junho de 2008, 10:58

Para retomar, da mesma fonte:

No início das batalhas Gazala:
3º. SA Recon. Btn. tinha ACs de Marmon Herrington (número não fornecido).
6º. SA Carro Blindado Regt. tinha 40 Marmon Herrington ACs.
7º. SA Recon. Btn. tinha ACs de Marmon Herrington (número não fornecido).

12º. Os lanceiros tinham aproximadamente 20 Humber ACs.

Os Guardas Dragão do Rei tinham os ACs de Marmon Herrington (número não fornecido). Há uma observação interessante anexada a esta entrada: "O KDG adquiriu um carro blindado alemão Sd. Kfz. 222 no início de maio e este foi posteriormente usado pelo CO como um veículo de comando. Da mesma forma, muitos de seus carros foram modificados, alguns tendo capturado armas antitanque de 37 mm e 47 mm instaladas para eles."
4º. SA Carro Blindado Regt. tinha ACs de Marmon Herrington (número não fornecido).

Segundo el Alamein:
4º./6º. SA Armd. Car Regt. teve 55 Marmon Herrington Mk. IIIs ACs.
3º. SA Armd. Car Regt. tinha 55 Marmon Herrington ACs.

XIII Corps HQ tinha 13 ACs (tipo não fornecido).
4º. (Leve) Armd. Bde. tinha 9 ACs (tipo não fornecido).
Reg. De Cavalaria Doméstica tinha 53 ACs (tipo não fornecido).
11º. Os hussardos tinham 61 Humber Mk. III ACs.
2ª Derbyshire Yeomanry tinha 50 Humber Mk. III ACs.

12º. Os lanceiros tinham 55 Humber ACs.
1ª Dragoons (Royals) tinham 46 ACs (tipo não fornecido).

O autor também menciona que havia 53 ACs adicionais de vários tipos atribuídos aos HQs das formações.

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por The_Enigma & raquo 20 de junho de 2008, 12h33

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por David W & raquo 20 de junho de 2008, 13:00

O 1º K.D.G ainda tinha um esquadrão de Dingos no momento da primeira ofensiva de Rommel.

1st Royal Dragoons tinha uma mistura de Humber MkII e amp M / H MkIII no outono de 1942.

H.C.R tem 42x M / H MkIII e amp 11x Daimler @ 23/10/42.

Isso é tudo que posso acrescentar ao excelente post de Michael.

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por James A Pratt III & raquo 26 de junho de 2008, 22:15

Re: equipamentos do Regimento de Carros Blindados Britânicos

Postado por Ironmachine & raquo 28 de junho de 2008, 18:51

11º Hussardos
De longe o regimento mais experiente no teatro, os "Cherrybums" resumiam o profissionalismo informal dos Ratos do Deserto. Os homens deste regimento usavam boinas marrom-avermelhadas.
06 / 40-03 / 41: Rolls Royce e / ou Morris C9 e até um carro blindado Guy por Tropa.
03 / 41-10 / 41: Carros blindados Marmon Harrington com até 1/3 com canhões Breda ou Solothurn capturados em cada tropa.
10 / 41-02 / 43: Carros blindados Humber. No início, MkI e MkII Humbers - antes de Alamein, eles recebem MkIII Humbers.
02 / 43-05 / 43: 2 carros blindados Daimler e 1 carro batedor Dingo em cada tropa. Um pelotão de infantaria montado em jipe ​​e um pelotão de infantaria montado em um Carro de Escoteiro Branco no esquadrão. O QG do esquadrão continuou a usar os carros blindados Humber porque eram mais espaçosos e mais adequados como veículo de comando do esquadrão.
Fontes:
PRO WO169 / 220, WO169 / 1390, WO169 / 4490, WO169 / 9320
CLARKE.D.W, o décimo primeiro em guerra. Sendo a história dos XI Hussardos, o Próprio do Príncipe Albert, ao longo dos anos 1934-1945, Michael Joseph: Londres, 1952.

1º Dragão Real
Chegados ao Egito em 1941 e treinados pelo 11º Hussardos, os "Royals" eram um regimento muito experiente. Os homens deste regimento usavam boinas cinzentas.
05 / 41-08 / 42 Carros blindados Marmon Harrington III com até 1/3 com um Breda ou Solothurn capturado por Tropa.
08 / 42-02 / 43 Carros blindados Humber e até um carro blindado Daimler por Tropa.
02 / 43-05 / 43 Carros blindados Humber e até 1 carro blindado AEC por Tropa.
Fontes:
PRO WO169 / 1383, WO169 / 4478, WO169 / 9310
Pitt-Rivers.J.A, The Story of the Royal Dragoons, 1938-1945. Sendo a história dos Royal Dragoons nas campanhas do Norte da África, Oriente Médio, Itália e Noroeste da Europa, William Clowes & amp Sons: Londres, 1956

12º lanceiros
Veteranos da campanha francesa de 1940, onde desempenharam um papel importante na luta. O 12º lanceiro tinha a reputação de ser muito bem relacionado, e muitos de seus oficiais desfrutavam de vias de promoção rápidas. Eles geralmente eram anexados à 1ª Divisão Blindada. Em comum com a maioria dos regimentos de cavalaria regulares britânicos, os homens usavam bonés laterais e os oficiais usavam bonés achatados em vez de boinas pretas RAC.
12 / 41-02 / 43 Carros blindados Humber.
03 / 43-05 / 43: 2 carros blindados Daimler e 1 carro batedor Daimler Dingo por Tropa. O QG do esquadrão tinha Humbers.
Fontes:
PRO WO169 / 4482, WO169 / 9326
Stewart, P. F, History of the XII Royal Lancers (Prince of Wales), O.U.P., Londres, 1950

Guardas Dragão do Rei
Mais comumente chamados de KDGs ou "tankies galeses". Em comum com a maioria dos regimentos de cavalaria regulares britânicos, os homens usavam bonés laterais e os oficiais usavam bonés achatados em vez de boinas pretas RAC.
02 / 41-03 / 43 Carros blindados Marmon Harrington III com até 1/3 com armas capturadas por Tropa.
06 / 42-03 / 43 Até um carro blindado Daimler por Tropa.
03 / 43-05 / 43 2 carros blindados Humber e 1 carro blindado AEC por Tropa.
Fontes:
PRO WO169 / 1384, WO169 / 4477, WO169 / 9312
McCorquodale.D, History of the King's Dragoon Guards, 1938-1945, Glasgow 1950

Cavalaria doméstica
As "barrigas de lata" tiveram ação limitada em Alamein.
10 / 42-12 / 42: Marmon Harringtons e até um carro blindado Daimler por Tropa.
Fontes:
Diário de guerra PRO WO169 / 4476
WYNDHAM, Everard Humphrey, The Household Cavalry at War: First Household Cavalry Regiment, Gale & amp Polden: Aldershot, 1952

2º Derbyshire Yeomanry
O Derbyshire Yeomanry teve ação limitada em Alamein.
10 / 42-12 / 42: Carros blindados Humber e até um carro blindado Daimler ou até um carro blindado AEC por Tropa.
Fontes:
PRO WO169 / 4493
JONES, Capt.A.J, The Second Derbyshire Yeomanry. Um relato do Regimento durante a Guerra Mundial 1939-45, White Swan Press: Bristol, 1949

1st Derbyshire Yeomanry
Um regimento Yeomanry que lutou na Tunísia com o Primeiro Exército. Eles tinham uma organização muito incomum de três carros blindados diferentes em uma tropa!
12 / 42-05 / 43: 1 carro blindado Daimler (Tenente), 1 Humber III e 1 carro batedor Dingo por Tropa (sugiro criar suas próprias "Regras Internas" para um esquadrão de Derbyshire Yeomanry, com pelotões treinados com confiança de 1 Daimler, 1 Humber III e 1 Dingo Scout Car.)
Fontes:
PRO WO175 / 293

4º Regimento de Carros Blindados da África do Sul
Os sul-africanos em seus Marmon Harringtons eram muito considerados, mas não consegui descobrir muito sobre esse regimento.
/ 41-12 / 42 Carros blindados Marmon Harrington, até 1/3 com armas capturadas

Régiment de Spahis Marocains, Coluna Voadora Francesa Livre
Francês Livre - Estou em dívida com Simon McBeth pelas informações sobre este esquadrão.
10 / 42-05 / 43: Carros blindados Marmon Harrington III, alguns com armas capturadas.

Os esquadrões eram geralmente apoiados por portees AT (diáconos eram especialmente eficazes na Tunísia), RHA e fuzileiros motorizados. Normalmente, uma "Coluna Jock" tinha um esquadrão de carros blindados, uma tropa de armas AT, Tropa ou Bateria de artilharia de campanha e uma Motor Company de fuzileiros em caminhões de 15 cwt. As Colunas Jock foram amplamente utilizadas no início de meados de 1942, quando havia uma espécie de mania no Oitavo Exército de dividir as formações em pequenos "pacotes de moedas" de braços combinados. Mas enquanto, uma vez que Montgomery assumiu, um controle muito mais rígido foi exercido, as Colunas Jock continuaram a ser usadas, e colunas de carros blindados e fuzileiros lideraram a perseguição de Rommel pelo Norte da África. Nenhuma armadura deve ser colocada em campo com um esquadrão blindado do Desert Rats. (Na doutrina britânica, os tanques são para a ação decisiva contra a força principal inimiga, e não para "ziguezaguear" no reconhecimento com carros blindados!) Os bombardeiros de Breda equiparam a 106ª Artilharia Montada Real em 1940-41, e alguns deles foram brevemente anexado ao 11º Hussardos - mas essa é a única vez que os portais de Breda foram usados ​​com carros blindados,


Variantes [editar |

O modelo básico e a primeira série de produção de carro blindado leve construído em um chassi padronizado para uso militar, a designação completa foi Leichter & # 160Panzerspähwagen & # 160 (M.G.) O Sd.Kfz. 221 estava armado com um único 7,92 mm Maschinengewehr (MG) 13 metralhadora, substituída a partir de 1938 por uma Maschinengewehr (MG) 34. Tinha tripulação de dois homens (motorista e comandante / artilheiro), e era equipado com tração nas quatro rodas. A produção foi de 1935 a 1940 com pelo menos 339 veículos produzidos. Foi produzido apenas com Ausf. Um chassi e uma blindagem frontal máxima de 14,5 & # 160mm. Alguns Sd. & # 160Kfz & # 160221 foram rearmados com um rifle antitanque pesado sPzB 41 de 2,8 cm em uma torre modificada.

Esta versão do veículo estava armada com um canhão automático KwK 30 L / 55 de 2 cm e uma metralhadora MG 13 com designação completa Leichter & # 160Panzerspähwagen & # 160 (2 & # 160cm). A tripulação foi aumentada para três com a adição de um artilheiro, dispensando o comandante dessa tarefa. Em 1938, o MG 13 foi substituído por um MG 34, e em 1942 o KwK 30 foi substituído pelo KwK 38 de disparo mais rápido do mesmo calibre. A produção foi de 1937 até o final de 1943, com pelo menos 990 veículos produzidos.

Um carro blindado com características semelhantes ao Sd. Kfz. 221, mas com a adição de uma antena de quadro e um conjunto de rádio de médio alcance FuG 10 de 30 watts, a designação completa foi Leichter & # 160Panzerspähwagen & # 160 (Fu). Versões posteriores do veículo foram equipadas com um rádio FuG 12 de 80 watts aprimorado. Ele foi originalmente armado com uma metralhadora MG 13, mas em 1938 foi alterada para uma MG 34. A tripulação de três homens consistia em um motorista, comandante e operador de rádio. A produção foi de 1936 a janeiro de 1944, com pelo menos 567 veículos produzidos.

Kleiner Panzerfunkwagen SD. Kfz. 260/261

Versões de carro de rádio desarmado com equipamento de rádio de longo alcance e uma grande antena de "estrutura de cama" sobre o veículo. Geralmente usado para uso de sinais, três foram usados ​​como carros blindados na Finlândia. & # 912 & # 93 O Sd. & # 160Kfz & # 160260 foi equipado com aparelhos de rádio para se comunicar com a aeronave e o Sd.Kfz. 261 com conjuntos de rádio para se comunicar com outras unidades terrestres. Em 1º de setembro de 1940, os fabricantes tinham pedidos de 36 Sd.Kfz. 260 e 289 Sd.Kfz. 261. A produção foi de abril de 1941 a abril de 1943, com 483 veículos de ambos os tipos produzidos.


Conteúdo

Modelo básico e primeira série de produção de carro blindado leve construído em um chassi padronizado para uso militar. O Sdkfz. 221 estava armado com um único 7,92 mm Maschinengewehr 34 metralhadoras, tripuladas por dois homens, e com tração nas 4 rodas. A proteção da armadura tinha originalmente 8 e # 160 mm de espessura, mas aumentou para 14,5 e # 160 mm mais tarde na produção.

Armado com um "rifle antitanque pesado" sPzB41 de 28 mm em uma torre modificada.

Esta versão do veículo estava armada com um canhão automático KwK 30 L / 55 de 2 cm e uma metralhadora MG34 7.92 & # 160 mm. Crew increased to three by the addition of a gunner, relieving the commander of that task. Some versions included a 28 mm anti-tank cannon.

SdKfz. 223 Panzerfunkwagen

A radio car version, armed like the 221 with a 7.92 mm MG34 machine gun. Included additional radio equipment, and had a large "bed-frame" antenna over the vehicle. Over 500 of the SdKfz 223 were produced.

Kleiner Panzerfunkwagen SdKfz 260 Kleiner Panzerfunkwagen SdKfz 261

An unarmed radio car version. Included additional radio equipment, and had a large "bed-frame" antenna over the vehicle. Generally used for signals use, three were used as armoured cars in Finland. & # 911 e # 93


Sd.Kfz.250 / 9 combat reconnaissance vehicle (Germany)

The light armored personnel carrier Sd.Kfz.1941, delivered to the series in 250, was distinguished by rather high characteristics, which could not but lead to attempts to use it as a base for other equipment. As a result, soon after the start of operation of the basic version of this armored vehicle, work began on the creation of specialized modifications. So, by the middle of 1942, a draft reconnaissance vehicle based on the existing BTR appeared. This technique, which was subsequently built in a rather large series, received the designation Sd.Kfz.250 / 9.

By the time of the attack on the Soviet Union, the main combat vehicle of Nazi German intelligence officers was the Sd.Kfz.222 armored car. This machine was in service with the 1937 year and until a certain time suited the army. However, over time, it was decided to replace this technique with more advanced samples. The fighting on the Eastern Front showed that wheeled armored vehicles are not always able to fully solve the tasks assigned in off-road conditions, as well as in difficult conditions of autumn and winter in the territory of the USSR. Available armored cars required some kind of replacement.

Variants of modernization of the existing machine and the development of a completely new project of such equipment were immediately rejected. The situation did not allow to engage in such work for technical and economic reasons. In addition, there were financial constraints. The only real way out of this situation was the development of a combat reconnaissance vehicle based on one of the existing models of equipment with acceptable characteristics.

The Sd.Kfz.250 armored personnel carrier found a promising and promising basis for the new reconnaissance vehicle. This equipment was already produced in large quantities and was actively used by the troops, which could facilitate the deployment of the assembly of new specialized machines, as well as simplify their operation. In addition, the BTR of the existing model met the requirements for mobility in rough terrain. Thus, the reconnaissance vehicle should be built on the basis of the existing serial equipment.

The new project received the designation leichter Schützenpanzerwagen 2 cm and Sd.Kfz.250 / 9. In addition, the name Gerät 883 was used. The main designations of the project reflected the serial number of the development, as well as the class, purpose and used weapon. As the name implies, a light reconnaissance vehicle with an 20-mm gun was created.

To reduce the time required to develop the project and prepare for mass production, it was decided to abandon the creation of a large number of new components and assemblies. It was proposed to minimally modify the housing of the existing chassis, and then install on it the existing combat module with weapons. This made it possible to solve a number of design and technological problems, and also in the shortest possible time to establish the serial construction of reconnaissance vehicles.


Armored personnel carrier Sd.Kfz.250 Alte. Photo of Wikimedia Commons

Initially, the base for the Sd.Kfz.250 / 9 vehicle was to be a basic version of an armored personnel carrier, which from the 1943 of the year was designated as Alte (“Old”). Then a new modification of the armored car went into the series, which was distinguished by the hull design, powerplant, etc. By changing the body with a reduction in the number of parts from 19 to 9, it was possible to slightly simplify the design, as well as to simplify the manufacture of the technique, called the Neu (“New”). Both versions of the armored personnel carrier were later used in the construction of reconnaissance vehicles.

The Sd.Kfz.250 Alte armored personnel carrier was equipped with an armored body of recognizable shape, consisting of a relatively large number of sheets of different shapes and sizes. The corps provided anti-bullet protection and was divided into two main compartments. In its front part, which had a smaller height, fit the engine compartment. Behind him there was a manned compartment in which all the places for the crew and the landing were located.

The case had front sheets 10-14,5 mm thick, located at different angles to the vertical. Two frontal sheets of small size formed a wedge-shaped front wall of the engine compartment, behind which there was an inclined roof. Behind the roof was provided frontal sheet of small height with viewing devices. 8-mm boards differed unusual design. The upper part of the sides of the engine compartment went into the protection of the habitable compartment. As a result, the sides of the middle and rear parts of the hull had a characteristic shape with the bottom sheets sprawled outward and the top set tilted inwards. Behind the hull was covered with a stern sheet 8 mm thick, in which there was a door for access to the car.

As part of the Sd.Kfz.250 Neu project, it was decided to abandon the complex structure of the hull, reducing the number of armor plates needed. The engine compartment at the front and on top was covered with even sheets of the desired shape, and the complex sides of the hull were transformed into a design with fenced niches, ducts and inclined upper sheets. The design of the stern and bottom remained unchanged.

The “old” armored personnel carrier was equipped with a Maybach HL 42TRKM carburetor engine with 99 horsepower. Through a mechanical transmission with seven forward gears and three rear torque transmitted to the drive wheels caterpillars. In the course of the “New” modernization, the armored vehicle received a Maybach HL 42TUKRM engine with similar power ratings. Transmission remained without significant changes.

The chassis of the two variants of the armored personnel carrier was the same. In front of the hull there was a single wheelbridge. It was equipped with leaf springs and was made manageable. It was proposed to maneuver by turning the wheels, which greatly simplified the design of the transmission. A tracked propulsion unit was placed under the central and aft parts of the hull. He received four road wheels of a chess arrangement with an individual torsion bar on each side. The driving wheels were installed in front of the rollers and guides in the stern. Due to the large diameter of the rollers, the running gear did not need support rollers.

In the basic version of the BTR Sd.Kfz.250 was controlled by a crew of two people and could carry four paratroopers. Access to the car was carried out using the stern door and through the side due to the lack of a roof. There was a set of viewing instruments in front of the habitable compartment. Armament consisted of one or two rifle caliber machine guns. The front machine gun was equipped with an anti-rolls, aft mounted on an open pivot installation.


Reconstruction of the appearance of the BRM Sd.Kfz.250 / 9 chassis Alte. Figure Tanks-encyclopedia.com

The Sd.Kfz.250 / 9 project proposed to subject the body of an armored personnel carrier to minor modifications, as a result of which the vehicle could become the carrier of a new combat compartment with higher power weapons. To do this, the body should be closed at the top, installing an armored roof. In the sheet of the roof, in its central wide part, there was a shoulder strap for installing the tower. In connection with the installation of the roof of the car was deprived of funds for the installation of machine guns and the front armor shield.

During operation on the Eastern Front, it was found that the Sd.Kfz.222 armored cars do not meet the requirements for mobility, but at the same time they have satisfactory firepower. This fact was taken into account when developing the design of the reconnaissance vehicle Sd.Kfz.250 / 9. It was decided to borrow a ready-made turret with a full set of weapons, sighting equipment, etc. from the existing armored vehicles. Using this approach, we were able to significantly speed up the development of the project and get rid of the need to deploy the production of new products.

The Sd.Kfz.222 armored tower was a unit of ten-sided shape, consisting of sheets 8 mm thick. The front and aft parts of the tower had a wedge-shaped shape, the sides were parallel to the longitudinal axis of the product. Between the frontal assemblies and the side sheets there were smaller cheek sheets. The roof of the tower project was not provided. At the same time, the fighting compartment was covered with a double-frame construction in the form of frames with a grid. Using this device, it was proposed to protect the fighting compartment from possible hits of hand grenades.

In the center of the frontal part of the tower there was a slot for the trunk of the main gun. To her right there was a smaller slot for the sight, to the left for the machine gun. The main weapon of the Sd.Kfz.222 armored car and, as a result, the Sd.Kfz.250 / 9 combat reconnaissance vehicle was supposed to be the 30 mm KwK 20 automatic cannon. A rifled gun with a barrel length 55 caliber could fire at a rate of up to 280 shots per minute. Provided acceleration of the projectile to speed 780 m / s. Additional armament consisted of a single MG 34 machine gun coupled to a cannon.


Intelligence machine at the front. Photo Worldwarphotos.info

The armament mounting system was equipped with manual pointing drives and allowed firing in various directions. Circular guidance was provided in a horizontal plane, carried out by turning the entire tower. Elevation angles varied from -10 ° to + 80 °, which allowed attacking both ground and air targets. Depending on the situation, the gunner could synchronize the descent of the gun and the machine gun or use them separately. The ammunition consisted of 180 shells for guns and 2000 cartridges for machine guns. According to other data, in the course of adaptation to the new base machine, the gun ammunition was reduced to 100 shells in 10 stores.

Interestingly, the use of the finished tower with a large range of angles of vertical guidance led to some confusion. Because of this feature, in a number of sources the reconnaissance vehicle Sd.Kfz.250 / 9 is referred to as an anti-aircraft self-propelled unit. Nevertheless, the main task of the new project was to provide new equipment for the intelligence units of the army. The possibility of shooting at air targets, in turn, was a useful and enjoyable addition to the main functions.

The crew of the reconnaissance vehicle leichter Schützenpanzerwagen 2 cm was to consist of three people. The driver was located inside the case in its usual place. In the borrowed tower with units located below the roof level, there were two more crew members responsible for the use of weapons: the commander-gunner and loader. The commander was to the right of the weapon, charging - at the left side. The crew had a set of viewing instruments in the hull and turret, as well as sighting equipment. It was suggested to get into the car through the hull aft door and through the open top of the tower. Other hatches or doors were not provided.


Connection equipped with Sd.Kfz.250 / 9 machines. Photo by Chamberlain P., Doyle H. "Complete German Reference tanks and self-propelled guns of World War II "

After a similar modernization with the installation of a new combat module, the reconnaissance vehicle retained some dimensions, while other parameters changed. The length remained at the level of 4,56 m, width - 1,95 m. Due to the installation of the new turret, the height of the vehicle increased to 2,16 m. . There was a possibility of acceleration to 6,02-55 km / h, the power reserve reached 60 km.

In March, the Wehrmacht 1942 ordered the production of the first batch of new combat reconnaissance vehicles in the number of 30 units. Soon, the first three samples were collected, which after factory testing went to the front. It was proposed to transfer this equipment to the troops for an inspection in a real war. The first conclusions about the front-line operation of the three Sd.Kfz.250 / 9 were made fairly quickly. Half-tracked vehicles quickly showed their advantages over wheeled armored vehicles, which determined their future.

It was decided to prepare and deploy a full-scale mass production of new reconnaissance vehicles on a better chassis. However, for some reason, the start of production was delayed. The first serial leichter Schützenpanzerwagen 2 cm was able to be assembled only by the middle of the 1943 year. Due to the beginning of the release of equipment with higher characteristics, it was decided to abandon the further assembly of Sd.Kfz.222 armored vehicles. The latest cars of this model were released in June 1943. The change of types of manufactured equipment led to a gradual transition of reconnaissance units to new armored vehicles.


Trophy armored vehicle with new identification marks. Photo by Achtungpanzer.com

In its original form, Sd.Kfz.250 / 9 were produced until the fall of 1943. After that, a new version of this technique appeared, distinguished by a base chassis. Now, reconnaissance vehicles were built on the basis of Sd.Kfz.250 Neu armored personnel carriers with a simplified hull structure and a different power plant. Also, a new modification of the turret was soon introduced, featuring a simplified design of six armor plates. The composition of weapons, however, remained the same.

The release of combat reconnaissance vehicles continued until almost the very end of the war and the surrender of Germany. According to reports, 1943 units of such equipment were released during 324, and 1944 was also released in 318. During the first months of 1945, only 154 machines managed to be assembled. Most of this technology managed to go to the troops and participate in hostilities.

The leichter Schützenpanzerwagen 2 cm / Sd.Kfz.250 / 9 reconnaissance vehicle was created in accordance with the requirements of the Eastern Front. As a result, the vast majority of such equipment was sent to war with the Red Army. The operation of these machines was associated with both positive aspects and disadvantages. The relatively high permeability of the semi-tracked chassis made it possible to move along roads and rough terrain. Gun-gun armament allowed to protect against infantry or light equipment, and observation devices and a radio station provided a solution to the main tasks.

However, the reconnaissance units of the German army regularly suffered casualties. As a result, a significant number of reconnaissance vehicles did not survive until the end of the war. According to reports, of the nearly eight hundred Sd.Kfz.250 / 9 built by the spring 1945, just over half remained in the ranks. Part of this technology was soon destroyed or taken as trophies in the last battles of World War II in Europe.

After the capitulation of Germany and the end of the war, the need for the further exploitation of the existing reconnaissance vehicles disappeared. In addition, now their very existence was a reason for doubt. As a result, in the first post-war years almost all leichter Schützenpanzerwagen 2 cm were sent for breaking, since they no longer had any interest in terms of learning German experience or operating existing machines.


Sd Kfz 222 Armoured Car, Tripoli, 1941 - History

Another of the ubiquitous armored cars employed by every military in World War II.

Let’s take a look at a more or less “typical” piece of hardware.

Going back to the early 1930s, one of the first things the Wehrmacht looked at as part of expansion and modernization was armored cars. Of course such vehicles had served broadly in the First World War, and were tank precursors in a way. But armored cars remain popular after the advent of heavier armor both as a speedy choice for recon, and more broadly as cheap armor.
The first mass produced design was derived from the Horch family of trucks. The Sd.Kfz.221 was a two man vehicle with a single light machine gun in a small turret and 4 wheel drive. The Sd.Kfz.222 was an enlargement of that design, especially the turret. It was a three man vehicle, with the commander and gunner functions separated. With a 20 mm cannon and co-axial light machine gun, even the enlarged turret was a little cramped. It was open topped for better visibility, but an anti-grenade cage could be closed up for close quarters fighting.

The 20 mm gun and 7.92 mm machine gun are co-axial mounted in the turret. The clamshell grenade screen can be closed up as a minimal sort of protection for close quarters fighting. Helps against grenades, not against Molotov cocktails…

The Sd.Kfz.222 entered service in 1937 and served everywhere the German Army went to the end of the War. Nearly 1000 were built by 1943. It was a key part of Reconnaissance Units throughout throughout the War, although North Africa and Russia exposed its weakness with a less developed road network.
From 1941 a reconnaissance version of the Sd.Kfz.250 half-track was considered its replacement (with more room and better off road capability), but this was not a high priority and the older model remained in service to the end.

This particular vehicle served with the Afrika Korp in 1941.
It is a Tamiya boxing of an ICM kit. Which was interesting. It was basically all ICM including photo-etch and decals (very unfortunate on the decals!), exceto one sprue of Tamiya miscellaneous detail parts. It was interesting to look at the difference. Although the ICM kit is well engineered, fit together well, and really looks great I think but the Tamiya parts clearly have better detail and quality of the mold. Its really striking, especially on parts like the jack that are included by both brands. But in some cases the directions have you performing some silly surgery to remove the papel of the Tamiya part you need… I generally found it better to just use the ICM part. Clearly the detail sprue was not actually designed for this kit.
Tamiya does this on occasion, they have some marketing agreements with ICM and Italerie (maybe others?). They’re not hiding anything, the box is plainly labeled “parts by ICM”. I imagine it has something to do with distribution networks. But for what its worth I would say check availability of both brands, I strongly suspect if I’d looked harder an ICM boxing would have been available in the US for cheaper.

German Recon Units would have often included both Sd.Kfz.222 and the much heavier Sd.Kfz.232.

Early in the War it was decided to replace the Sd.Kfz.222 with the Sd.Kfz.250 half-track. The half-track was roomier and had better off road capabilities. But complete replacement never happened.

The M8 Greyhound is perhaps a similar American vehicle. Although the Greyhound is more modern (by a couple years) and heavier. And no, it was not used where the roads were lousy.


Assista o vídeo: Военные реставраторы создали немецкий бронеавтомобиль (Pode 2022).